20070328

Não faças disso a tua vida!

Por vezes deparamo-nos com coisas, pessoas, situações que podem perturbar qualquer um. Ainda mais quando se é, por natureza, facilmente impressionável ou quando, por qualquer motivo, se está mais fragilizado.
Não vou exemplificar, porque podem ser de vária ordem essas manifestações.
Tenho a convicção de que não há ninguém que não tenha estado já perante um qualquer tipo de perturbação de maior ou menor gravidade.
Algumas há que serão apenas momentâneas, mas outras haverá das quais poucos se conseguem livrar sozinhos. Estas são como um espinho cravado na pele que, ou alguém o arranca de lá à força, ou se tem de esperar o tempo necessário a que o próprio organismo o rejeite.
O pior é que, às vezes, as defesas que existem revelam-se insuficientes face ao corpo estranho, e o organismo por si só não reage, precisa sempre de ajudas externas.
Melhor, melhor era mesmo estar-se vacinado. Mas as vacinas, muitas vezes, são como as da gripe. Não actuam em todos os tipos de vírus, só nos específicos. E mesmo estes, tal como as bactérias, quantas vezes não se tornam eles cada vez mais resistentes?

Então que fazer?

Boa pergunta.

Não sei.

Numa situação assim, ou te safas sozinho ou procuras ajuda.

Agora o que não podes nunca é fazer disso a tua vida!


6 comentários:

Enfim... disse...

ás vezes é dificil n as incluir na nossa vida.Beijinhos

Anónimo disse...

Enfim, grande texto...
Vale sempre a pena desabafar e dizer o que nos vai na alma...
Gostei do remate final...

Nanny disse...

Bom mesmo é quando conseguimos fazer desses momentos de fraqueza verdadeiros exercícios de força.

Virando as costas à adversidade e criando resistências naturais para nos fortalecer noutros momentos da vida.

Beijoca da gata

Alfacinha disse...

A resistência das bactéris tornou-se um problema grande.Talvez as pessoas não tenham de tomar medicamentos fortes imediatamente para as costipações ordinárias .Evite tomar o antibiótico
abraço

edna figueiredo disse...

Querida Fá,
por fezes achamos que somos fortes e podemos aguentar tudo.
Fui assim por anos!
Aguentei e carreguei todos os problemas comigo. Sempre só...
Até que o corpo e a mente começaram a falar...então chegou o dia em que não dei mais conta. Caí doente, sem forças, sem chão...
Hoje, vivo em constante estado de alerta, de medo. Infelizmente não dou mais conta de viver sem medicamentos.
A Síndrome do Pânico e a TAG me roubarão de mim.
Mas sou teimosa, continuo a acreditar que um dia serei novamente quem eu era.

Gostei imensamente de deu texto.
Beijinho amiga.
Deus esteja sempre com você.

saudade disse...

Seja o que seja que te perturbe... Não faças disso a tua vida....
Beijinho

Partilhas maiores