20070419

O Filtro Triplo

Um dia o filósofo Sócrates encontrou-se com um seu conhecido, que lhe disse:
- Sabe o que ouvi dizer sobre o seu amigo?
- Espere um minuto - replicou Sócrates - Antes que me diga qualquer coisa sobre o meu amigo, quero que me responda a um pequeno teste que eu chamo de exame do Filtro Triplo.
- Filtro Triplo? – Replicou o outro.
- Correcto - continuou Sócrates - Antes que me diga qualquer coisa sobre o meu amigo, pode ser uma boa ideia filtrar 3 vezes, o que me vai dizer. É por isso que eu o chamo de exame de Filtro Triplo. O primeiro é o Filtro da Verdade.Está absolutamente seguro, de que o que me vai dizer é certo?
- Não - disse o homem - realmente só ouvi falar sobre isso e…
- Bem – disse Sócrates – então você não sabe se é verdade ou não. Permita-me então aplicar o segundo filtro, o Filtro da Bondade. O que me vai dizer sobre o meu amigo é algo de bom para ele?
- Não, pelo contrário…- Então, vai dizer-me algo de mau para ele, no entanto não está certo de que seja verdade. Mesmo que eu o quisesse ouvir agora, ainda não podia, pois falta um filtro, o Filtro da Utilidade. Servir-me-á de algo saber o que me vai dizer sobre o meu amigo?
- Não, na verdade não.
- Bem - concluiu Sócrates – se o que me deseja dizer não é certo, nem bom, e tão pouco me será útil, porque iria eu querer saber?

Isto, só para dizer que:

- A amizade (uma forma de amar) é algo inviolável;
- Por um comentário sem fundamento é muito fácil perder um amigo;
- Não devemos fazer aos outros o que não gostaríamos que nos fizessem.

Porque:

"É por isto que todos saberão que sois Meus discípulos: se vos amardes uns aos outros" (Jo. 13, 35)

1 comentário:

antonio disse...

Bem, assim lá se ía grande parte do prazer que temos em conversar...

Estou a brincar. Este teu post é um bom ensinamento, especialmente para os que emprenham pelos ouvidos. Gostei.