20100808

O Mar e as Rochas



Fui perguntar às rochas
O que sentem
Quando o mar as abraça

Disseram-me
Que sentem arrepios molhados
Pois que o mar é irrequieto
E lhes dá beijos salgados
Que ora as veste de espuma branca
Ora as despe enamorado

Sentem-se amadas por ele
E outras vezes odiadas
Quando ele as prende e as força
Com os seus braços pesados
Sem ter remorso nem dor
Em abraços agitados
A ceder ao seu amor

20 comentários:

Ailime disse...

Amiga Fá,
Que inspiração!
Lindo poema. Uma bela analogia com o que se passa nas nossas vidas.
Gostei muito.
Beijinhos,
Ailime

Lilá(s) disse...

Que conversa linda!tomara que elas também me falem...
Bjs

Rafeiro Perfumado disse...

E então se forem rochas de um pontão, o mar quase poderia ser acusado de violador!

Nilson Barcelli disse...

Achei o teu poema excelente, principalmente pela criatividade, que conseguiste transpor para as palavras com saber.
Querida amiga, boa semana.
Beijo.

RETIRO do ÉDEN disse...

Que lindíssimo poema.
Consegue-se sentir a maresia e o gosto a água salgada!
Boa semana
Forte abraço
Mer

gaivota disse...

que linda maresiaaaaaaaaaaaaaaa
essa é especial! e lindas palavras, fa
beijinjhos

Anónimo disse...

Muito lindo.
Beijinhos da Utilia

O Árabe disse...

Bela metáfora, amiga! E é assim que tantas vezes a vida nos faz também... :) Bom resto de semana!

Nova Civilização disse...

Amiga Fa,

que lindo... quantas vezes a vida tb nos passa serena e outras agitada em seus abraços,

beijinhos no coração,

Gisele

José disse...

Este é um dos poemas que se lê, e não queremos que ele chego ao fim,
eu estava lendo e pensando, o mesmo que o Rafeiro perfumado, só que eu não saberia dizer com a graça que ele diz.

Obrigada pela visita e volte sempre,será um prazer recebe-la você já está de braços abertos, e eu também terei os meus para a receber.

um beijinho,
José.

teresa disse...

muito bonito amiga ..
este teu cantinho transmite-nos sempre uma enorme paz ...

beijo ..

Laura disse...

Mexeste com a nina laura...o mar é o meu elemento preferido,seguido das árvores, ou qual deles o primeiro...

Belíssimo jogo de palavras, pois até o mar consegue dizer às rochas que as ama, há amor e poesia em tudo...
Parabéns menina Poeta de gabarito...

Beijinho da laura

Baila sem peso disse...

E venho partilhar com eco de alegria
E agradecer lá no meu cantinho a tua simpatia!

Um poema lindo que bordaste
Na suave brisa que deixaste...
Gostei muito!
O mar abre-se em abraços
Tal como tu nos teus passos!

Beijinhos

JE VOIS LA VIE EN VERT disse...

É realmente um lindo poema sobre este mar que pode ser violento como "ternurento".
Beijinhos
Verdinha

avlisjota disse...

Olá Fa

Belo poema
As rochas, o mar...

Bjs e bom fim de semana!

José

poetaeusou . . . disse...

*
e o Mar
convidou as rochas
e de cravo ao peito
foram dançar o vira !
,
brisas serenas,
deixo,
,
*

Nilson Barcelli disse...

Passei para te desejar boa semana, querida amiga.
Beijos.

sérgio figueiredo disse...

Linda a conjugação que dás ás tuas palavras, revelando um amor, que é teu, mas que o expressas entre o mar e as rochas.
Linda é, também, a foto.

bj...nho

Anónimo disse...

não me esqueci, e vi dar uma espreitadela!!!!!!!!!!
...belo, como sempre.
beijo
clara

Fa menor disse...

:)
Gosto muito quando sei de visitas lindas por aqui...

Beijinhos