20110623

No mês do Sagrado Coração de Jesus


"Tomou, então, o pão e, depois de dar graças, partiu-o e distribuiu-o por eles, dizendo: «Isto é o meu corpo, que vai ser entregue por vós; fazei isto em minha memória.» Depois da ceia, fez o mesmo com o cálice, dizendo: «Este cálice é a nova Aliança no meu sangue, que vai ser derramado por vós.»" (Lc 22, 19-20)

É na Eucaristia que o Coração de Jesus, o seu amor, se dá todo a nós: corpo, sangue, alma e divindade. 
Ele é o Pão Vivo descido do Céu para ser nosso alimento.
Comungá-lo é viver d'Ele, é permanecer n'Ele, é receber a Vida, é alimentar-se do Pão celeste que dá vida, santifica, cura, transforma, purifica, fortalece, cristifica.
A Eucaristia é a presença de todo o Seu Coração (Amor) e, por isso, deve ser o centro da nossa vida.
No altar temos de aprender com Cristo, com o Seu Coração Eucarístico, a darmo-nos, a ser alimento para os outros viverem através do nosso dom e da nossa entrega, no serviço alegre e humilde, na dádiva de nós aos outros. 
(In: Dário Pedroso, S.J. - Coração Trespassado, O Amor Louco de Deus)


Na sexta-feira depois da oitava da festa do Corpo de Deus, a Igreja celebra a festa do Sagrado Coração de Jesus.
Mas a Igreja dedicou à sua veneração também um mês inteiro: o mês de Junho.

A Devoção ao Sagrado Coração de Jesus

6 comentários:

Alfa & Ômega disse...

Na comunhão Jesus se torna pão verdadeira comida, refeição. O pão da vida é Jesus! Um abraço, Fa. Bjbjbj!

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Olá.

As palavras
que falam de fé,
são preciosas.
Acalmam o coração
e o devolvem a nós.

Vida plena em teus dias.

Vanuza Pantaleão disse...

A Eucaristia, o pão, o vinho, tudo se transfigura no Corpo Sagrado do nosso Amigo Maior, Jesus.
Um ótimo final de semana, amiga!
Beijinhos

Daniel disse...

Obrigado pela visita em meu blog.
Fazia tempo que não passava daqui. É bom mesclar tudo o que lemos e escrevemos com o que leio aqui.

Daniel

Lilá(s) disse...

Gosto de te ler.
Bjs

. intemporal . disse...

.

.

. devoto . e aqui re.encontro sempre a palavra como ascese da vida inteira .

.

. um beijo meu .

.

.