20131107

Mazelas


Há quem ache que o sol gira à sua volta e que os outros – à excepção, talvez, de um ou dois, também iluminados pela mesma estrela – estão todos na periferia, sem serem bafejados pela sua luz. Têm, quantas vezes, vocação crónica para julgar os outros e estão sempre prontos a tecer juízos de valor, à luz da sua verdade. 

Só que, todos temos as nossas verdades, as nossas convicções… – e também as nossas mazelas e as nossas dores; algumas delas chocam e doem nas dos outros quando lutamos por elas. 

Lembremo-nos: 
“Não julgueis para que não sejais julgados (…) com a medida com que tiverdes medido, vos hão-de medir a vós”. (Mt. 7, 1 -2)



9 comentários:

lidacoelho disse...

Bom dia
E quem não tem problemas, aflições ou dores colectivas...?
O Sol é só um e ele aquece igualmente a todos.
O respeito pelos outros deveria ser como o Sol.
Este pensamento irá marcar o meu dia, por isso foi bom ter passado por aqui.

Nilson Barcelli disse...

Há muita gente que só olha para o seu umbigo e, quando levanta os olhos, é apenas para julgar os outros (dizendo mal, a maioria das vezes).
Por isso, subscrevo o teu ponto de vista na íntegra.
Fa, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
Beijo, querida amiga.

poetaeusou . . . disse...

*
Amiga
voltei . . .
,
como é normal neste País,"julgamos
os outros", ignorando bastas vezes
o que se passa na nossa Casa,com a
excepção do TC,digo eu, um Xéxé...
,
perdoai-lhes Pai, eles não sabem
o que dizem, disse o Cristo-Homem !
,
maresias de perdão, envio-te,para
distribuires por quem te magoa !!!
*

Ana Tapadas disse...

Ora aí está uma verdade que há muito colhi para a minha vida.

Como tens razão e como fazes bem em recordar!

Beijinho grande

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Temos sempre a tendência de julgar as atitudes dos outros e muitas vezes nos damos conta de que afinal estavamos a interpretar tudo de maneira errada. Cada vez estou mais atenta a isso e tenho consciência de que estou melhor nesse aspecto. Também, com o passar dos anos temos a obrigação de ter aprendido alguma coisa e o respeito pelos outros aceitando-os como são, tentando entender as suas acções sem críticas, é fundamental para uma convivência pacífica.Beijinhos, amiga e obrigada pelo " alerta " Nunca é demais tratar deste tema, pois os maiores problemas da nossa sociedade são causados pela falta de respeito para com as verdade e convicções dos outros. Até sempre!
Emília

josé torres disse...

Pois é.
Tenho quase, quase a certeza e até posso afirmar solene e inequivocamente convicto, invocando a expressa e intimamente minha sombra que o sol gira à minha volta num movimento de rotação; já no movimento de translacção coloco algumas duvidas.
Assim de repente tenho o exemplo da praia para onde costumo transumar e onde o sol vai rodando e corando a m/pele até a curtir sem eu mexer um dedo que seja.
Já na translacção, sou eu que tenho o trabalho de rodar… qual frango em grelhador rotativo.
,

. intemporal . disse...

.

.

. assertivo . até porque . não estamos em tempos para posturas copérnicas . ou heliocentristas .

.

. O Sol quando nasce é para todos . e cada um de nós . não pode ser . por si só . a terra inteira . a via láctea e o infinito .

.

. um beijo meu .

.

.

Lilá(s) disse...

Está tudo dito aí! e muito bem...
Bjs

Ailime disse...

Olá boa amiga Fá! Com muito atraso a comentar este seu "post" lembrei-me
de há alguns anos atrás um Sacerdote que passou pela minha Paróquia ter dito numa homilia o seguinte: "hão-de reparar que quando apontamos com um dedo há quatro que estão virados para nós"! Esta uma verdade tantas vezes esquecida.
Fá muito obrigada pelos seus votos que retribuo desejando-lhe e a seus familiares um Santo e Feliz Natal. Bom 2014! Beijinhos Ailime

Podes partilhar também aqui as tuas palavras