sexta-feira, 28 de junho de 2013

OREMOS!


E ali vai um padre atrás de oito andores, remoendo festas e feiras, e outras dores.

Sabores de romarias, festejos, santinhos populares; ou mesmo que sejam comunhões, sermões e outras pregações; são sempre, e por todo o lado, das mesmas sinfonias, alegrias, calores, ventanias, rumores e alergias de certos paroquianos e foliões, que acabam por deixar amargos de bocas a quem a isso se expõe.

Ora bem… oremos bem. Que este mundo precisa de muitas, repetidas e fervorosas orações.
Oremos, pois, sem desfalecer, que ainda há muito caminho a percorrer.


A minha continuação da (in)completa 3, em resposta ao desafio do Confessionário dum Padre.


sábado, 1 de junho de 2013

Maria, Mãe do Verbo Encarnado




Maria: toda uma vida de «Escuta, Decisão e Acção».
Sem o seu "Sim" não viríamos a ter o "Corpo de Cristo" para nosso alimento espiritual.


Maria, queremos amar-te
Maria, Maria,
Maria, Maria.

(Maria) Somos todos teus filhos, queremos amar-te
(Maria) como até hoje ninguém te amou. (bis)

Contigo, na tua estrada, o nosso caminho é seguro,
contigo os nossos passos tocam a meta.
E mesmo na noite escura a tua presença nos guia,
transformas o nosso medo em confiança,
ave Maria

Queremos ser, ó Maria, a tua coroa de rosas,
uma coroa de filhos todos teus.
E volte, por nosso meio, a tua presença ao mundo,
notas em harmonia, coro dos céus,
ave Maria