20080521

12 Palavras

Sei que tens o vento por CONSELHEIRO.
Mas vês a MORTE como EXPONENTE maior.
Imaginas uma SILHUETA fantasma, que se vem interpor entre o teu ontem e o teu amanhã.
Tenho PENA dessa VULNERABILIDADE, que vai sendo uma OBSTRUÇÃO àquilo que te deveria preencher totalmente.
No entanto, algo te diz que ainda estás muito a tempo de AFASTAR todo esse ORVALHO que te salpica, de modo a percorrer, sem freio, toda a imensa TAPEÇARIA que tens pela frente.
Faz isso!
É o vento que te sussurra que ainda agora é MANHÃ e que o sol mal começou a ensaiar os seus primeiros passos de CRIANÇA.
Não fujas de o escutar mais uma vez!

XVII texto do 3.º Jogo das 12 Palavras

11 comentários:

LadyBird disse...

Muito bonito este texto....

Ecclesiae Dei disse...

Lindo texto!

Lisa's mau feitio disse...

Olá querida Fá, deixo-te um abraço do tamanho do mundo.
Obrigada pelas boas leituras que me proporcionas aqui no teu espaço.

Fica bem!

Beijinho fofo

Lisa

Cátia disse...

Existem vulnerabilidades que não controlamos, são mesmo como que fantasmas que nos envolvem por momentos num nevoeiro intenso, em que nos perdemos. Mas a Morte não é um exponente maior, apenas uma fraqueza que persegue, que teima em aparecer a cada esquina... A vida continua e a tepeçaria está lá, apenas o nevoeiro nem sempre deixa a ver, obstroi-nos a visão, mas estou certa que ela está lá... Que a possamos percorrer até ao fim, aproveitando a beleza do caminho e de todos os pequenos momentos que ela nos proporciona.

Gostei muito deste teu texto... bem sabes quanto...
Um beijo grande e um abraço apertado com muita amizade.

Fa menor disse...

Ladybird
e
Ecclesiae Dei,
Muito obrigada :)



Lisa,
Um abraço para ti também.
Eu é que agradeço por me leres.
Beijinhos


Cátia,
minha menina,
para fazer um texto com uma sugestão de palavras, para mim, é algo motivador, mas tenho que ter sempre um pano de fundo em que me apoiar... algo de onde surja uma inspiração, para não estar a dizer só disparates.
No meio destes textos que fui escrevendo com as 12 palavras, há sempre uma mensagem, e algo com o qual algumas pessoas se poderão, eventualmente, identificar, porque penso que, apesar de sermos pessoas únicas e irrepetíveis, cada qual com uma vivência diferente, não estamos sós ou não somos os únicos a passar por situações semelhantes. Os nossos problemas, as nossas angústias, as nossas dores ou as nossas alegrias, são reflexo da nossa humanidade imperfeita e comuns a todos, só que cada qual os experimenta de maneira única.
É preciso criarmos em nós as defesas certas para determinados ataques.

Um beijinho grande de quem gosta muito de ti: eu!

gaivota disse...

texto lindioooooooo, com palavras certas...
bijinhos

mafaoli disse...

O vento nos sussurra palavras vindas de longe.
Bom fim de semana, apesar dos pingos de chuva, o sol está lá.
;) Bjs

Nilson Barcelli disse...

Tal como nas anteriores, também gostei desta tua participação. Parabéns.

Bfs, beijinhos.

A Flôr disse...

Escrever assim é um dom... e tu tens esse dom! :)
(Acho que já to tinha dito!!)

Abraço a tua alma

Flor

Lisa's mau feitio disse...

Querida Fá!

Vim deixar um kiss fofo em ti! :)

(Viste a pouca vergonha que ia no meu blog?!?! E ainda te riste!!! ehehhehehe)

Beijinhos, minha boa amiga virtual!

Fa menor disse...

Gaivota,
no meio de um monte de palavras... haverá sempre algumas que batem certo :)
Bijinhos


Mafaoli,
o "vento" fala-nos!...
mas quantas vezes o ouvimos com atenção?!
Faça sol ou chova, que o sol esteja sempre nos nossos corações!
Beijinhos


Nilson,
Obrigada.
Estou a gostar muito destes desafios!
Bjs


Flor,
Obrigada, amiga linda.
Às vezes é mais fácil escrever do que falar... pelo menos para mim!
Beijinho de amizade


Lisa,
gostei de me rir aquele bocadito, sim! mas não fiz por mal...
Eu também tinha percebido a outra calinada, mas como agora já se fala de qualquer modo e feitio, pensei que era normal ;)
Beijinhos para ti, amiga linda

Podes partilhar também aqui as tuas palavras