terça-feira, dezembro 07, 2021

Saiamos do labirinto

Monsenhor Vigano do Vaticano solta o verbo -- palavras sobre os negros tempos que atravessamos.

  


https://rumble.com/vnqd5v-monsenhor-vigano-do-vaticano-solta-o-verbo.html

https://rumble.com/embed/vl4715/?pub=4

segunda-feira, dezembro 06, 2021

A ver o mundo de outra janela





“O que nos causa sarilhos não é aquilo que não sabemos”.


- Mas o que é que está a acontecer?
Diz a letra da música de Melissa Etheridge:
“Have I been sleeping?
I’ve been so still
Afraid of crumbling
Have I been careless?”

(Eu estava dormindo?
Eu estava tão parada
Com medo de despedaçar
Eu estava desatenta?)



Os oceanos aquecem e acontecem tempestades fortes, furacões, degelos em larga escala, cheias e secas, doenças e pragas… Será que o clima está a mudar? A Natureza está a enlouquecer?
- Será mesmo? Não será uma profecia da desgraça? Não será, como sempre ouvi aos antigos, que o mar que vem buscar o que já foi seu?!


Porque o que mais há é quem lance dúvidas, o que leva as pessoas a ficarem confusas. Temos que procurar separar a verdade da ficção, se conseguirmos. Porque aquilo que tomamos por garantido pode já não existir para os nossos filhos”. E um dia eles poderão perguntar porque não agimos enquanto estávamos a tempo de o fazer.

“Fazer o que está correcto faz-nos progredir.”

- E “cautela e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém”!

(Mas agora também já dizem que os caldos de galinha podem fazer mal também.)


Hello!!!

“That I need to move
I need to wake up
I need to change
I need to shake up
I need to speak out
Something’s got to break up
I’ve been asleep
And I need to wake up
Now”


(Que eu preciso de me mover
Preciso acordar
Preciso mudar
Preciso sacudir
Preciso falar
Certas coisas têm que quebrar-se
Tenho estado a dormir
E preciso acordar
Agora)

Eu acho que na Natureza "nada se perde, tudo se transforma", mas podemos sempre mudar o que estiver ao nosso alcance para tornar o mundo uma casa melhor habitável. 


- Acho que cada um de nós tem de fazer a sua parte e, pelo sim pelo não, ir sensibilizando os outros.


Para começar…
- Desligar os aparelhos eléctricos quando não estiverem a ser utilizados. Desligar da tomada os aparelhos eléctricos que menos usar, porque eles continuam sempre a gastar energia.
- Lavar a roupa com água fria ou morna.
- Secar a roupa numa corda em vez do secador da roupa, sempre que possível.
- Pôr a louça a lavar só quando a máquina estiver cheia.
- Comprar aparelhos com um consumo eficiente. Trocar as lâmpadas incandescentes pelas lâmpadas fluorescentes/económicas.
- Ajustar o ar condicionado. Limpar os filtros.
- Melhorar o isolamento térmico da casa, aumentar a insolação, pedir uma análise do consumo de energia.
- Mudar para fontes renováveis de energia.
- Isolar as janelas, portas e tecto para gastar menos energia em aquecimento.
- Usar e abusar dos “3R´s” – Reduzir, Reutilizar e Reciclar.
- Usar papel reciclado.
- Plantar árvores. Muitas árvores. 
- Comprar comida fresca e menos congelados.
- Procurar comprar em mercados locais.
- Se se puder, comprar um carro híbrido. Se não, um que seja eficiente e gaste menos combustível e com menor emissão de gases.
- Ter atenção à manutenção do carro: quando maior a sua eficiência, menos gases nocivos são libertados. E ver o estado dos pneus, que também ajuda.
- Sempre que possível, andar a pé ou de bicicleta, ou de transportes públicos.
- Deixar de fumar e incentivar os que nos rodeiam a fazerem o mesmo.
- Não estragar o mundo em que os nossos filhos vão viver.
- Rezar para que as pessoas encontrem a força para mudar. E para que Deus nos acuda e ajude!  
- E passar a palavra!


domingo, dezembro 05, 2021

Os que semeiam em lágrimas recolhem com alegria

Deixemo-nos envolver pelas palavras deste salmo de esperança. 

E rezemos com as palavras do salmo, 
tendo presente todas as formas de cativeiro em que tanta gente vive e sofre.  


SALMO RESPONSORIAL Salmo 125 (126), 1-2ab.2cd-3.4-5.6 (R.5):

Refrão 1: Os que semeiam com lágrimas recolhem com alegria.  (25 de Julho - S. TIAGO, Apóstolo) 

"Quando o Senhor fez regressar os cativos de Sião, 
parecia-nos viver um sonho.
Da nossa boca brotavam expressões de alegria 
e de nossos lábios cânticos de júbilo. 

Diziam então os pagãos: 
«O Senhor fez por eles grandes coisas». 
Sim, grandes coisas fez por nós o Senhor, 
estamos exultantes de alegria. 

Fazei regressar, Senhor, os nossos cativos, 
como as torrentes do deserto. 
Os que semeiam em lágrimas 
recolhem com alegria. 

À ida, vão a chorar, 
levando as sementes; 
à volta, vêm a cantar, 
trazendo os molhos de espigas."

Refrão 2: O Senhor fez maravilhas em favor do seu povo. (30.º Domingo Comum, ano B); (2.º Domingo do Advento, ano C); (5.º Domingo da Quaresma, ano C) 
Partitura
Áudio 2

sábado, dezembro 04, 2021

Um Ano dedicado a São José

“Depois de Maria, a Mãe de Deus, nenhum Santo ocupa tanto espaço no magistério pontifício como José, seu esposo”.  (Carta Apostólica ‘Patris Corde’, Papa Francisco)


O Papa convoca a um “Ano especial de São José
entre 8 de Dezembro de 2020 e 8 de Dezembro de 2021.

Esta iniciativa assinala o 150.º aniversário da declaração de São José como padroeiro da Igreja. 


“Todos podem encontrar em São José – o homem que passa despercebido, o homem da presença quotidiana discreta e escondida – um intercessor, um amparo e uma guia nos momentos de dificuldade”.    

“Todos os fiéis terão assim a oportunidade de se comprometer, com orações e boas obras, para obter, com a ajuda de São José, chefe da Família celestial de Nazaré, conforto e alívio das graves tribulações humanas e sociais que hoje dominam o mundo contemporâneo”, refere o Papa.

São José é o padroeiro da Igreja; da família; dos trabalhadores; das almas aflitas...

São-lhe celebradas duas festas: a 19 de Março – Esposo da Virgem Maria, Dia do Pai; e a 1 de Maio – São José Operário.

Temos agora oportunidade especial durante todo um ano.

Dirijamos-lhe as nossas orações.

«Glorioso Patriarca São José, cujo poder consegue tornar possíveis as coisas impossíveis, vinde em minha ajuda nestes momentos de angústia e dificuldade. Tomai sob a vossa protecção as situações tão graves e difíceis que vos confio, para que obtenham uma solução feliz. Meu amado Pai, toda a minha confiança está colocada em Vós. Que não se diga que eu vos invoquei em vão, e dado que tudo podeis junto de Jesus e Maria, mostrai-me que a vossa bondade é tão grande como o vosso poder. Ámen» 
(oração rezada diariamente pelo Papa Francisco a São José, tirada dum livro francês de devoções, do século XIX, da Congregação das Religiosas de Jesus e Maria) 

Glorioso São José, castíssimo esposo da Virgem Maria, rogai por nós!



E para o encerramento do Ano de São José, o Papa convidou os católicos a rezar a seguinte oração: 

 "São José, vós que sempre confiastes em Deus e fizestes as vossas escolhas, guiado pela sua providência, ensinai-nos a não contar tanto com os nossos projectos, mas com o Seu desígnio de amor. Vós, que viestes das periferias, ajudai-nos a converter o nosso olhar e a preferir o que o mundo descarta e marginaliza. Confortai quantos se sentem sozinhos e apoiai quantos se comprometem em silêncio para defender a vida e a dignidade humana. Ámen."

domingo, novembro 21, 2021

Say Yes - Aprender a Dizer SIM




Ø Um percurso pela história das JMJ (Jornadas Mundiais da Juventude);

Ø Visa preparar a vivência da JMJ com a presença do Papa, que terá lugar em Lisboa, no ano de 2023.

O Say yes é um projecto de Catequese para adolescentes (7.º; 8.º; 9,º; e 10.º anos de Catequese) que  está a ser desenvolvido em todo o país.

O projeto Say yes segue, em traços gerais, a história das JMJ nas suas diversas etapas.
Procura que os adolescentes conheçam cada Jornada (tema, mensagem, hino, local), a experiência de alguém que a viveu (vídeo testemunhal), e procurem actualizar para o hoje das suas vidas os desafios lançados na mensagem. Ao longo destes três anos percorrer-se-ão as quinze Jornadas Mundiais da Juventude desde 1986 (Roma) até 2019 (Panamá).

A quem interessar, encontrarão recursos do Projeto Say Yes
em: Centro de Recursos Educris clicando do lado esquerdo da página onde refere Projeto Say Yes

Cada etapa do percurso Say yes estrutura-se em 4 encontros, cujo desenvolvimento é apoiado pelo Diário de Bordo, que pretende ser um caderno «pessoal» do catequizando para registo e aprofundamento do percurso feito.

Say Yes - Aprender a Dizer SIM, «a força do SIM de Maria jovem. 
O sim de Maria foi diferente de um sim como se dissesse: bom, vamos tentar, para ver o que acontece. Maria não conhecia a expressão vamos ver o que acontece. Era decidida, percebeu do que se tratava e disse sim, sem rodeios. Foi algo mais, algo diferente. Foi o sim de quem se quer comprometer e daquele que quer arriscar, de quem quer apostar tudo, sem outra segurança que não seja a certeza de saber que era portadora de uma promessa.» 
(cf. Cristo vive, 44)

domingo, novembro 14, 2021

Dia Mundial dos Pobres

O Papa Francisco, por vontade explícita na Carta Apostólica Misericórdia et Misera (20 de Novembro de 2016), instituiu o XXXIII Domingo do Tempo Comum como Dia Mundial dos Pobres, pois, nas suas palavras, o encontro com os pobres que nos rodeiam "será um momento propício para encontrar o Deus que buscamos".

 5.º Dia Mundial dos Pobres - 14 de Novembro de 2021

«Estende a tua mão ao pobre» (Sir 7, 32)
 4.º Dia Mundial dos Pobres - 15 de Novembro de 2020
Este ano vivido numa situação ainda mais difícil, com a pandemia.

«A esperança dos pobres jamais se frustrará» (Sal 9, 19)
3.º Dia Mundial dos Pobres - 17 de Novembro de 2019

«Este pobre clama e o Senhor o escuta» (Sal 34, 7)
 2.º Dia Mundial dos Pobres - 18 de Novembro de 2018

 
 1.º Dia Mundial dos Pobres - 19 de Novembro de 2017

Mensagens para o Dia Mundial dos Pobres, ler em:      https://w2.vatican.va/content/francesco/pt/messages/poveri.index.html

🔻

Fica sempre um pouco de perfume,
Nas mãos que oferecem rosas,
Nas mãos que sabem ser generosas. (Bis)

Dar o pouco que se tem
Ao que tem menos ainda,
Enriquece o doador,
Torna a alma ainda mais linda.

Dar um pouco de alegria,
Parece coisa tão singela,
Aos olhos de Deus, porém
É das graças a mais bela.
(Fica sempre um pouco de perfume, Irmã Judith Junqueira Vilella)  Acordes e ouvir
                                                                                  Pauta

quinta-feira, novembro 11, 2021

Alicerça-te


«Todo aquele que escuta estas minhas palavras e as põe em prática é como o homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha.
Caiu a chuva, engrossaram os rios, sopraram os ventos contra aquela casa; mas não caiu, porque estava fundada sobre a rocha.

Porém, todo aquele que escuta estas minhas palavras e não as põe em prática poderá comparar-se ao insensato que edificou a sua casa sobre a areia.
Caiu a chuva, engrossaram os rios, sopraram os ventos contra aquela casa; ela desmoronou-se, e grande foi a sua ruína.» (Mt. 7,24-27)


A vida é uma construção, vais-te construindo aos poucos. 

De onde vem a solidez da tua vida? 

A forma como tenho resistido aos ventos e às chuvas da vida indica o terreno onde tenho construído a minha vida.  

Pergunto-me, honestamente, quais são os alicerces em que assento a minha vida? 

Quantas vezes não experienciámos já a construção na areia? As más escolhas que nos levaram a más experiências?

"Senhor, tantas vezes que construímos a nossa casa sobre as areias do mundo. E as areias do mundo escorrem-nos por entre os dedos, e perdem-se para sempre. Ajuda-nos, Senhor, a construir sobre a rocha que Tu és, para que fazendo da nossa casa, tua habitação, ela seja para sempre. Ámen."

 "O Senhor foi o meu alto retiro; e o meu Deus a ROCHA em que me refugiei" (Salmo 94,22).

 "Vinde, cantemos ao Senhor: cantemos com júbilo à ROCHA da nossa salvação" (Salmo 95,1).


Alicerça-te, pois só assim se pode dizer:

Caiu a chuva, vieram as torrentes, sopraram os ventos... mas aquela casa não caiu. (Mateus 7, 21.24-27)


quinta-feira, novembro 04, 2021

Tradições – das orações e expressões orais II

Na senda de recolhas de Orações Tradicionais Antigas da Religiosidade Popular
-  Oração ao Justo Juiz Divinal 
(para proteger nas viagens e quando se sai de casa; contra o mal e contra as injustiças) 

"Justo Juiz Divinal, filho da Virgem Maria,
que em Belém fostes nascido,
em Nazaré fostes criado;
crucificado entre toda a judiaria.
Peço-vos, meu Deus e Senhor,
pelo Vosso Santo dia,
Que me guardeis de noite e de dia;
Que eu não seja preso,
nem ferido, nem morto,
Nem na injustiça envolto.

Pax tecum, pax tecum,
Disse Jesus aos seus Discípulos.

Se vierem para me ofender
Tendo olhos, não me vejam,
Tendo boca, não me falem,
Tendo mãos e não me peguem;
Tendo braços, não me prendam,
Tendo pernas, não me alcancem.

Com as armas de São Jorge serei armado,
Com a capa de Abraão serei coberto,
Com o leite da Virgem Maria serei borrifado,
Com o sangue do Senhor Jesus Cristo serei baptizado,
Na arca de Noé serei arrecadado,
Com as chaves de São Pedro serei fechado,
Para que os meus inimigos não me possam ver,
Nem ferir, nem matar,
Nem sangue do meu corpo tirar,
E nem em pensamento me possam fazer mal.

Por aqueles três sacerdotes revestidos ao altar,
Por aqueles três Cálices Benzidos,
por aquelas três Hóstias Consagradas,
que consagrastes ao Terceiro dia,
Peço-vos meu Deus e Senhor
Que me dês aquela doce companhia,
A que deste sempre à Virgem Maria,
quando veio desde Belém até Jerusalém.
Que eu vá e volte na mesma alegria.
Que eu seja tão bem guardado tanto de noite como de dia,
Assim como andou Jesus Cristo no ventre da Virgem Maria.

Deus adiante, paz na guia!

Em louvor de Nosso Senhor
e da Virgem Maria,
Um Pai-Nosso e uma Ave-Maria..."

quarta-feira, setembro 01, 2021

Tempo da Criação


Os cristãos são convidados a viver o Tempo da Criação:
 
Um mês para exercitar no cuidado da nossa Casa Comum - o planeta Terra



(Tema para 2020: “Jubileu pela Terra: Novos Ritmos, Nova Esperança”.)



Agradecer; reflectir, informar-se; agir; contemplar; rezar; e saborear:
7 verbos pela Terra, associados a cada dia, em ordem a «reconhecer estes dias para celebrar a riqueza de fé como uma expressão para proteger a nossa Casa Comum».




"Então Deus contemplou toda a sua criação, e viu que era tudo muito bom."  (Gn 1, 31a)



“Não é o muito saber que sacia e satisfaz a alma, mas o sentir e saborear internamente as coisas.” (Sto Inácio) 

domingo, agosto 29, 2021

Como é que acordou hoje o teu coração?

"Como é que acordou hoje o teu coração?", perguntava o agricultor ao jovem da cidade que tinha chegado à montanha para partilhar a vida simples e pura do camponês. E o “coração do jovem” não sabia responder. Isto durante alguns dias, até que o jovem, ao despertar, punha-se a escutar o seu coração em silêncio. Nos últimos dias da sua experiência na paz e no silêncio da montanha, o jovem já tinha descoberto que tinha coração; tinha tocado o seu coração; tinha aprendido a olhar e a observar no profundo do seu coração. Ao deixar a montanha, o jovem perguntou ao camponês: “Meu irmão, como é que acordou hoje o teu coração?” E o agricultor, abraçando-o sinceramente, disse-lhe: “Hoje acordou bem; amanhã não sei. Durante este dia que Deus me oferece, vigiarei o meu coração e o manterei desperto, para que, quando chegue a noite, mantenha acesa a luz da fé e arda perante o Deus do silêncio e do profundo”.

O coração é o que de mais bonito e delicado habita em ti. É como a raiz da vida. É como o leito do rio.
Se o coração está vivo, todo o ser será luminoso e transparente.
Se o coração está a dormir, todo o ser estará apagado, será indiferente e cinzento.
Se o coração está morto, todo o ser será como as folhas do Outono que a chuva molha e que o vento leva.
Se o coração é puro, todo o ser será límpido e refrescante.
Se o coração sente e ama, todo o ser estará disposto a ajudar, a abraçar, a encontrar-se.
Se o coração está cheio de sementes de paz e bem, todo o ser será uma primavera radiante e um verão carregado de frutos.
Se o coração está cheio de Deus, todo o ser será uma festa contínua.

E o meu coração, como é que acordou hoje?

(Desconheço o autor)
In:
Topas?

domingo, julho 04, 2021

Piedade, Senhor, tende piedade de nós


Salmo 122 (123) - XIV Domingo Comum B

Os nossos olhos estão postos no Senhor,
até que Se compadeça de nós.


Levanto os olhos para Vós,
para Vós que habitais no Céu,
como os olhos do servo
se fixam nas mãos do seu senhor.

Como os olhos da serva
se fixam nas mãos da sua senhora,
assim os nossos olhos se voltam para o Senhor nosso Deus,
até que tenha piedade de nós.

Piedade, Senhor, tende piedade de nós,
porque estamos saturados de desprezo.
A nossa alma está saturada do sarcasmo dos arrogantes
e do desprezo dos soberbos.

poderá também gostar de:

Partilhas maiores