terça-feira, junho 02, 2020

A Cabana do Zé do Sacho

O Zé do Sacho tem o sacho atrás da porta
Com que ele vai sachar a horta;
Tem toca e meia de pinho
Onde os morcegos fazem ninho;
Tem um altar curto e baixo,
Tem apenas um capacho
Por onde entra e sai o ar.
Meus senhores queiram notar
A cabana do Zé do Sacho!

O tio Zé contava-me assim pequeninas histórias, contos curtos em lengalengas que me deleitavam na infância e que eu mandava sempre repetir. Hoje recuperei este, cujas frases completas já me esqueciam, mas que a minha prima ainda se lembrava bem.

segunda-feira, junho 01, 2020

Todos os dias são dias das crianças


Quando as crianças fazem Uau, tenho um ratinho!
Quando as crianças fazem Uau, tenho um cachorrinho!...
Tem uma coisa que eu sei
que nunca mais irei rever
é um lobo mau que dá um beijinho
num carneirinho...

E as crianças fazem
Ei, me dá a mão,
porque me deixa só?
Sem ajuda de ninguém,
sem qualquer um,
ninguém pode virar um homem

Uma boneca ou robô,
talvez, talvez brinquem um pouco,
mas com o dedinho, em alta voz
ao menos eles, é, fazem as pazes
E cada coisa nova é uma surpresa
até quando chove,
E as crianças fazem: Uau, olha que chuva!

Quando as crianças fazem Uau!
Que maravilha! Que maravilha!
Mas que bobo veja só, olha só!
Eu me envergonho um pouco.
Já não sei mais fazer "Uau!"
e fazer tudo como eu quero.
Porque as crianças falam sempre,
falam tudo, tudo que pensam.

As crianças são muito sinceras
mas têm tantos segredos, como poetas...
E as crianças se ocupam com a fantasia
E com poucas mentiras
oh mamma mia, bada.
Mas tudo é claro e transparente
Quando um adulto chora as crianças fazem:
"Ei! você fez um dodói, a culpa é tua!"

Quando as crianças fazem Uau!
Que maravilha, que maravilha!
Mas que bobo veja só, olha só!
Eu me envergonho um pouco.
Já não sei mais fazer "Uau!",
Não brinco mais numa gangorra,
Não tenho a chave que abre a porta
dos nossos sonhos...

Lá, lá, lá, lá, lá...

Enquanto os chatos fazem: Éh!
Enquanto os chatos fazem: Ah!
Enquanto os chatos fazem: bôooo!
Tudo fica igual!
Mas se as crianças fazem Uau, uau!
Ei, basta uma vogal!

Eu me envergonho um pouco,
E os adultos fazem NÃO!
Eu peço abrigo, eu peço abrigo,
como os leões eu quero andar engatinhando
Cada um é perfeito e iguais na cor...
E viva os loucos que perceberam o que é amor!
É tudo uma história de estranhas palavras
que eu não entendo...

Quero voltar a fazer Uau!
Quero voltar a fazer Uau!
Porque as crianças falam sempre,
falam tudo, tudo que pensam...

(Giuseppe Povia, Quando as crianças fazem Uau)

domingo, maio 31, 2020

sábado, maio 30, 2020

sexta-feira, maio 29, 2020

Não tenho culpa de ser um caso raro


(clicar em cima da letra para ler e ver os acordes)

quinta-feira, maio 28, 2020

Retrospectiva

(reposição)
A Marta colocou aos seus leitores um desafio a que me senti tentada a responder. A ideia era fazer um texto, com sentido, onde seriam empregues os títulos das dez últimas postagens.

Nisto dei por mim a pensar em como gostaria de reencontrar uma velha amizade perdida
É que as amizades da adolescência e da juventude acabam, quase sempre, por se modificar ou perder. Surgem outras motivações, interesses, amores.
Acabamos por fazer
opções radicais quando colocamos o amor acima de tudo, ainda para mais, um certo tipo de amor, aquele que deriva da paixão sentida por uma pessoa especial e que não deixa ver um palmo à frente do nariz, como me aconteceu a mim. Mas não me arrependo de nada, hoje faria tudo de novo! Amaria cegamente ao ponto de me esquecer de mim, me anular, como fiz, tendo como base uma cultura do dar, em que o principal objectivo é fazer feliz a pessoa com quem se compartilha tudo. Aliás, passados tantos anos, continuo a fazer cenas ridículas como a de declarar publicamente “Je t’aime… J”.
É claro que durante todos estes anos de vida em comum, outros amores chegaram, se sobrepuseram e me tornaram na mãe
galinha que não consigo deixar de ser.
Mas não pensem que tudo foram ou são rosas! Melhor, sempre me rodeei de rosas, sim, muitas rosas, mas com muitos espinhos, de vários tamanhos e feitios! Senti a carne e a alma rasgadas por eles. Por vezes seria mais cómodo baixar os braços perante tantas inquietações, pois que
elas não matam… mas moem!

Mas o melhor, mesmo, é seguir em frente sem olhar muito para trás!
Para quê sentir em excesso? Afinal, ontem foi dia de Karaoke e hoje ainda ando a cantarolar la la la la…!

Este foi um exercício engraçado que gostei muito de compor.
Quem quiser experimentar a construir um texto com estas regras vai ver como é interessante e não é difícil.


quarta-feira, maio 27, 2020

Em “Caminhada”

Alegremo-nos pois Cristo vive em nós!
Caminhemos pois Ele vai connosco!


Somos jovens em caminhada
Queremos ser a luz.
Não aspiramos a mais nada
Se não a imitar Jesus.

Somos tempero de sal
Em todas as nossas acções.
Temos Cristo por ideal
E a Sua Luz nos corações.

Que transpareça em nossa vidas
A Luz de Cristo que nos enche,
Tenhamos o vigor do sal
Para travar a força do mal.

O Reino de Deus habita em nós,
Somos testemunhas do Amor,
Arautos da Nova Aliança,
O Sal e a Luz do Senhor.

Alegremo-nos pois Cristo vive em nós!
Caminhemos pois Ele vai connosco!
Ele é o alimento;
Ele é a luz;
É o Caminho e a Meta!

(Uma canção que compus em 2007, bons tempos de Grupo de Jovens)


terça-feira, maio 26, 2020

Perdoa, Senhor

Perdoa, Senhor, o nosso dia (sol si- do re)
A ausência de gestos corajosos (sol do re)
A fraqueza de actos consentidos (mi- si- do re)
A vida dos momentos mal amados (sol do sol)

Perdoa o espaço que te não demos
Perdoa, porque não nos libertámos
Perdoa as correntes que pusemos
Em Ti, Senhor, porque não ousámos

Contudo, faz-nos sentir
Perdoar é esquecer a antiga guerra
E, partindo, recomeçar de novo
Como o sol, que sempre beija a terra



Perdoa Senhor o nosso dia - partitura

domingo, maio 24, 2020

O Senhor é Rei


O Senhor é Rei, o Senhor é meu Pastor e Rei

O Senhor está no céu, o Senhor está no mar
Na extensão do infinito

Está no céu, está no mar
Na extensão do infinito

Quando eu vacilar
Eu não temerei
Pois o Senhor está comigo

  O Senhor é Rei - acordes

 

sábado, maio 23, 2020

Como é que acordou hoje o teu coração?

"Como é que acordou hoje o teu coração?", perguntava o agricultor ao jovem da cidade que tinha chegado à montanha para partilhar a vida simples e pura do camponês. E o “coração do jovem” não sabia responder. Isto durante alguns dias, até que o jovem, ao despertar, punha-se a escutar o seu coração em silêncio. Nos últimos dias da sua experiência na paz e no silêncio da montanha, o jovem já tinha descoberto que tinha coração; tinha tocado o seu coração; tinha aprendido a olhar e a observar no profundo do seu coração. Ao deixar a montanha, o jovem perguntou ao camponês: “Meu irmão, como é que acordou hoje o teu coração?” E o agricultor, abraçando-o sinceramente, disse-lhe: “Hoje acordou bem; amanhã não sei. Durante este dia que Deus me oferece, vigiarei o meu coração e o manterei desperto, para que, quando chegue a noite, mantenha acesa a luz da fé e arda perante o Deus do silêncio e do profundo”.

O coração é o que de mais bonito e delicado habita em ti. É como a raiz da vida. É como o leito do rio.
Se o coração está vivo, todo o ser será luminoso e transparente.
Se o coração está a dormir, todo o ser estará apagado, será indiferente e cinzento.
Se o coração está morto, todo o ser será como as folhas do Outono que a chuva molha e que o vento leva.
Se o coração é puro, todo o ser será límpido e refrescante.
Se o coração sente e ama, todo o ser estará disposto a ajudar, a abraçar, a encontrar-se.
Se o coração está cheio de sementes de paz e bem, todo o ser será uma primavera radiante e um verão carregado de frutos.
Se o coração está cheio de Deus, todo o ser será uma festa contínua.

E o meu coração, como é que acordou hoje?

(Desconheço o autor)
In:
Topas?

quinta-feira, maio 21, 2020

Tradições – das orações e expressões orais II

Na senda de recolhas de Orações Tradicionais da Religiosidade Popular
-  Oração ao Justo Juiz Divinal 
(para proteger nas viagens e quando se sai de casa) 

"Justo Juiz Divinal, filho da Virgem Maria,
Em Belém fostes nascido,
em Nazaré fostes criado.
Crucificado entre toda a judiaria.
Peço-vos, meu Deus e Senhor,
pelo Vosso sexto dia,
Que me guardeis de noite e de dia;
Que o meu corpo não seja preso,
ferido, nem morto,
Nem na justiça envolto.

Pax tecum, pax tecum,
Disse Jesus aos seus Discípulos.

Se vierem para me ofender
Tendo olhos, não me vejam,
Tendo boca, não me falem,
Tendo mãos e não me peguem;
Tendo braços, não me prendam,
Tendo pernas, não me alcancem.
Com as armas de São Jorge serei armado,
Com a espada de Abraão serei coberto,
Com o leite da Virgem Maria serei borrifado,
Com o sangue do Senhor Jesus Cristo serei baptizado,
Na arca de Noé serei arrecadado,
Com as chaves de São Pedro serei fechado,
Para que os meus inimigos não me possam ver,
Nem ferir, nem matar,
Nem sangue do meu corpo tirar,
E nem em pensamento me possam fazer mal.

Por aqueles três sacerdotes revestidos ao altar,
Por aqueles três Cálices Benzidos,
por aquelas três hóstias consagradas,
que consagrastes ao terceiro dia,
Peço-vos meu Deus e Senhor
Que me dês aquela doce companhia,
A que deste sempre à Virgem Maria,
quando veio desde Belém até Jerusalém.
Que eu vá e volte na mesma alegria.
Que eu seja tão bem guardado tanto de noite como de dia,
Assim como andou Jesus Cristo no ventre da Virgem Maria.
Deus adiante, paz na guia!

Em louvor de Nosso Senhor
e da Virgem Maria,
Um Pai-Nosso e uma Ave-Maria..."

quarta-feira, maio 20, 2020

Sei-te de cor

Sei de cor
cada traço do teu rosto, do teu olhar
cada sombra da tua voz e cada silêncio,
cada gesto que tu faças,
meu amor sei-te de cor.

Sei cada capricho teu e o que não dizes
ou preferes calar, deixa-me adivinhar
não digas que o louco sou eu
se for tanto melhor
amor sei-te de cor.

Sei porque becos te escondes,
sei ao pormenor o teu melhor e o pior
sei de ti mais do que queria,
numa palavra diria
sei-te de cor.

Sei cada capricho teu e o que não dizes
ou preferes calar, deixa-me adivinhar
não digas que o louco sou eu
se for tanto melhor
amor sei-te de cor.

Sei de cor
cada traço do teu rosto, do teu olhar
cada sombra da tua voz e cada silêncio,
cada gesto que tu faças
meu amor sei-te de cor.

(Sei-te de Cor - Paulo Gonzo)


terça-feira, maio 19, 2020

segunda-feira, maio 18, 2020

Philia – amor de amizade



“Ama e faz o que quiseres. A medida do amor é amar sem medida.” (Santo Agostinho)

Philia é o sentimento de amizade, simpatia e afeição por alguém.
É uma forma de amar.
É amor de ternura, alegre, expansivo.
É saber ouvir e aconselhar.
É também confiar.
É querer bem a alguém, em vez de o possuir.

Em Português só temos uma palavra para Amor, mas ele contempla três vertentes: o amor Philia - esse amor de amizade; o amor Eros, que é o amor erótico, apaixonado; e o amor Ágape - o amor de Deus, aquele que devemos nutrir pelo próximo, até por aqueles de quem não gostamos. A partir daí pode perceber-se melhor o amor.

Acho engraçada a expressão: “Amizade é o amor sem sexo”. (Onde é que eu já ouvi isto?)
Será que amizade poderá ser amor sem sexo?
Poderá haver amizade entre duas pessoas de sexo diferente?
Será que esta é sempre verdadeira amizade ou poderá evoluir para outros estádios?
Terá alguma componente de simpatia romântica?

Amizade será, também, o amor conjugal realizado?
Philia e Eros que terão em comum?

Penso que amizades grandes e incondicionais, às vezes podem confundir-se com outro tipo de amor. Se calhar conviria saber fazer a distinção, o que, se calhar, nem sempre será fácil.

O que é certo é que na amizade se correm riscos, se esta descambar para além do que na realidade é (amizade) ou, sobretudo, se não for recíproca.

Às vezes, aposta-se numa amizade e, mais tarde, surgem desilusões.
Afinal, na amizade nem sempre tudo corre bem. Porquê? O que faltará? Lealdade? Reciprocidade?

Para não nos magoarmos, convém que saibamos, também, fazer a distinção entre “amigos” e apenas “conhecidos”. Não podemos considerar verdadeiramente “amigos” todos aqueles com quem, de certo modo, nos relacionamos.

Nesses relacionamentos deverá entrar a outra dimensão do amor – o Ágape. Este está acima do Philia e do Eros e nunca nos magoará, uma vez que não exige reciprocidade.

E, tanto Philia como Eros tem de ter Ágape à mistura, quando não... falta-lhes a parte essencial para que sejam completos e verdadeiros.

domingo, maio 17, 2020

ANTROPOLOGIA(...)

Ciência que se dedica ao estudo comparativo do ser humano e da humanidade de uma forma totalizante, isto é, que tem em conta as suas múltiplas dimensões biológicas, culturais e sociais.

Permite-nos compreender de modo crítico as culturas e os complexos processos sociais do mundo contemporâneo.


SOCOOORRO!!!

sábado, maio 16, 2020

Deixa o mundo girar

Quantas vezes vais olhar para trás
Estás preso a um passado que pesou
Quantas vezes vais ser tu capaz
De fazer sair quem por engano entrou

Abre a tua porta
Não tenhas medo
Tens o mundo inteiro
À espera para entrar
De sorriso no rosto
Talvez o segredo
Alguém que te quer falar

Olha em frente e diz-me aquilo que vês
Reflexos de quem conheces bem
Ouve essa voz, é a tua voz
Dá-lhe atenção e a razão que tens

Abre a tua porta
Não tenhas medo
Tens o mundo inteiro
À espera para entrar
De sorriso no rosto
Talvez o segredo
Alguém que te quer falar

Deixa o mundo girar para o lado que quer
Não o podes parar nem tens nada a perder
Estás de passagem
Não o leves a mal se te manda avançar
Talvez seja um sinal de que não podes parar
Estás de passagem

Vai aonde queres
Sê quem tu quiseres
Estende a tua mão
A quem vier por bem

Abre a tua porta
Não tenhas medo
Tens o mundo inteiro
À espera para entrar
De sorriso no rosto
Talvez o segredo
Alguém que te quer falar

Deixa o mundo girar para o lado que quer
Não o podes parar nem tens nada a perder
Estás de passagem
Não o leves a mal se te manda avançar
Talvez seja um sinal de que não podes parar
Estás de passagem

Deixa o mundo girar para o lado que quer
Não o podes parar nem tens nada a perder
Estás de passagem
Não o leves a mal se te manda avançar
Talvez seja um sinal de que não podes parar
Estás de passagem

Só de passagem
Estou de passagem
Para outro lugar



"Quantas vezes vais olhar para trás..." Fa Lam (4x)
"Abre a tua porta..." Rem, Lam Sib (2x)
"Deixa o mundo girar..." Fa Lam Do Fa (2X) etc...

(Polo Norte - Deixa o mundo girar)



sexta-feira, maio 15, 2020

Em Maio... e além



 Atrevam-se.

Isto só vai com Revolução desta.


quinta-feira, maio 14, 2020

No Quinto Mistério Luminoso contemplamos a Instituição da Eucaristia.


“Mistério de luz é, enfim, a instituição da Eucaristia, na qual Cristo Se faz alimento com o seu Corpo e o seu Sangue sob os sinais do pão e do vinho, testemunhando «até ao extremo» o seu amor pela humanidade (Jo 13, 1), por cuja salvação Se oferecerá em sacrifício.”


Na Quinta-feira Santa, na última ceia,  Jesus Cristo instituiu a Eucaristia. Na noite em que ia ser entregue, ofereceu a Deus o seu Corpo e o seu Sangue, sob as espécies do Pão e do Vinho, e entregou-os aos seus discípulos: "tomai todos e comei... e bebei; fazei isto, sempre, em memória de mim." (cf: 1 Cor.11, 23-25)


segunda-feira, maio 11, 2020

domingo, maio 10, 2020

O Senhor é meu Pastor nada me falta

O Senhor é meu Pastor
Nada me falta, nada me falta


Leva-me a descansar em verdes prados
Conduz-me às águas refrescantes.
Reconforta a minha alma
E conduz-me por Seus caminhos,
Por amor do Seu nome,
Por amor do Seu nome.

Ainda que eu passe por vales tenebrosos,
Nada temo, porque Tu estás comigo.
Teu bastão e Teu cajado confortam meu sofrimento.
Meu Senhor e bom Pastor,
Meu Senhor e bom Pastor.

Preparas diante de mim mesa abundante,
À vista dos meus inimigos;
Unges com óleo minha cabeça,
E transborda a minha taça
Meu Senhor e bom Pastor,
Meu Senhor e bom Pastor.

Tua bondade e graça me acompanham
Porque sei, Senhor, que Tu estás comigo.
Habitarei na Tua casa
Nos dias da minha vida,
Por todo o sempre, meu Senhor,
Por todo o sempre, meu Senhor.


Salmo 23

Acordes

sábado, maio 09, 2020

Eu finjo ter paciência…

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma,
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma,
A vida não pára...
Enquanto o tempo acelera e pede pressa,
Eu me recuso, faço hora, vou na valsa;
A vida é tão rara...

Enquanto todo mundo espera a cura do mal,
E a loucura finge que isso tudo é normal,
Eu finjo ter paciência...
O mundo vai girando cada vez mais veloz,
A gente espera do mundo, e o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência...

Será que é tempo que lhe falta pra perceber?
Será que temos esse tempo pra perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara, tão rara...
Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma,
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma,
Eu sei,
A vida não pára...

(Paciência - Lenine)




sexta-feira, maio 08, 2020

Restolho, ou trigo?

Uma canção para reflectir:
O que é a vida?
O que é viver?
Para que serve viver?




Geme o restolho, triste e solitário
a embalar a noite escura e fria
e a perder-se no olhar da ventania
que canta ao tom do velho campanário

Geme o restolho, preso de saudade
esquecido, enlouquecido, dominado
escondido entre as sombras do montado
sem forças e sem cor e sem vontade

Geme o restolho, a transpirar de chuva
nos campos que a ceifeira mutilou
dormindo em velhos sonhos que sonhou
na alma a mágoa enorme, intensa, aguda

Mas é preciso morrer e nascer de novo
semear no pó e voltar a colher
há que ser trigo, depois ser restolho
há que penar para aprender a viver

e a vida não é existir sem mais nada
a vida não é dia sim, dia não
é feita em cada entrega alucinada
pra receber daquilo que aumenta o coração
(Mafalda Veiga - Restolho)

Alguns possíveis significados:
Restolho = Símbolo do que é inútil, sem valor. Os momentos sem significado.
(Is. 5,24; Ex. 15,7; Job 21,18; Joel 2,5; Mal. 4,1; 1Cor. 3,2).
Ventania = mundo.
Ceifeira = pessoas que nos magoam.
Trigo = Vida.



A canção sugere-nos também a forma de se conseguir chegar a Jesus:
com entrega incondicional à vida para que a vida nos possa devolver o motor dessa entrega: o Amor, que é o único sentimento que nos aumenta, de facto, o Coração!

Partilhas maiores