20080528

Nós... esses ouriços!?!

"No Verão, uma família de ouriços-cacheiros instalou-se na floresta. Fazia muito calor e durante todo o dia abrigavam-se sob as árvores. Brincavam às escondidas entre as flores, apanhavam moscas para se alimentarem e, de noite, dormiam no musgo fofo.

Um dia, viram cair algumas folhas: tinha chegado o Outono. Brincaram, correndo atrás das folhas que caíam em maior número. E, como as noites eram cada vez mais frias, começaram a dormir sobre as folhas mortas.

O frio começou a aumentar. A neve já cobria as folhas e o rio tinha gelado. Os ouriços tiritavam todo o santo dia e, de noite, não pregavam olho.

Decidiram então apertar-se uns contra os outros para ficarem mais quentinhos, mas fugiram pelos quatro cantos da floresta. Porquê? Porque se feriram uns aos outros com os picos que possuíam. Timidamente, aproximaram-se outra vez, mas picaram-se de novo no nariz e nas patas.

De cada vez que tentavam reunir-se sucedia o mesmo, mas era preciso que se unissem, como todos os animais, para ficarem quentinhos. Tinham que arranjar uma forma de se aproximarem. E tentaram; muito suavemente, pouco a pouco, os ouriços foram-se aproximando uns dos outros, baixaram os seus picos e, com muita precaução, encontraram finalmente o ponto exacto de encosto.

Podiam agora juntos enfrentar o vento gelado ou mesmo a fria neve, que já não lhes fariam mal algum. Já dormiriam agora muito bem, porque o calor não voltaria a faltar!"

(Jacinto Jardim, O Método de Animação)

22 comentários:

EDUARDO disse...

um beijão querida esti-amada amiga Fa, teu


paradoxos

Fa menor disse...

Edu,
reparo que esse é um
"daqueles [teus] poemas exagerados" :)

Bjts

Fontez disse...

fabulosa lição podemos tirar deste post!

abraço migaça!

bj grande!

Ecclesiae Dei disse...

Real lição esta... quantas vezes não somos esses ouriços, ferindo os mais próximos, que mais amamos... interessante, não conhecia a história, se até eles conseguem o encaixe sem ferirem-se, nós também, com jeitinho, haveremos de conseguir melhorar e deixar de ferir nossos próximos.
Abraços em cristo.
João

quinttarantino disse...

Olá menina, sempre clarividente nas escolhas sábias que fazes.
Não conhecia estas palavras, embora conheça muito bem a lição de vida das mesmas!

Espero que andes bem e que tudo te corra de feição.
Se quiseres, e quem sou eu para te pedir seja o que for, inaugurei novo balcão ... coisa de longas dissertações que a ninguém se pede que leia ...

cont(r)a corrente

malu disse...

Querias um comentário, era? Mas eu é que não sou queixinhas eh eh, embora às vezes tb me "ourice" um pouco, ai ai... disse.

Bjs!

joaquim disse...

Pois é Fa amiga, mas temo que os nossos espinhos piquem bem mais que os dos ouriços...

Aqueles fazem sangue exterior, os nossos fazem muitas vezes sangue interior...

Mas na esperança de um dia sermos um com Ele, deixo-te um abraço amigo em Cristo

Cátia disse...

Minha querida amiga,

Por vezes temos os nossos espinhos tao afiados que vamos magoando mesmo os que precisamos e gostamos. É preciso saber quando baixar os espinhos, saber quando baixar a guarda para poder chegar ao outro...

Que nos possamos encostar aos outros de coraçao.
Beijo mt grande para ti querida

Carracinha Linda! disse...

Por vezes temos que baixar as nossas defesas, pois é a única forma de nos protegermos. O que pode parecer contraditório, nem sempre o é.

Obrigada pela passagem no meu blog... est´qa aberto a quem lá for cuscar!

:D

Bjs

Fa menor disse...

Fontez,
pois é, amigo... quantas vezes isto se passa no dia-a-dia...
Bjs


João,
...havemos de conseguir, se fizermos por isso...
porque é sempre quem está mais próximo de nós que mais ferimos com os nossos espetos afiados!
Abraços em Cristo


Quint,
:)
assim aprendessemos as lições...
Estou bem, pois!
... já por lá andei... e hei-de voltar.
Tudo de bom para ti.


Malu,
fazes bem em não ser queixinhas :P
E julgas que és só tu que te "ouriças"?
Ai ai, digo eu!...
Beijinho grande


Joaquim,
também concordo, amigo, se concordo! E então os meus!!!
Ainda nem sempre os sei baixar...
Vou tentando...
Abraço muito amigo, em Cristo.


Cátia,
às vezes são mesmo grandes espetos!
E o pior está em não se conseguir o discernimento necessário a baixá-los na altura certa. Só quando também somos picados é que percebemos...
Beijo grande, minha menina!


Carracinha Linda!
Muito bem dito!
Nem sempre essas "armas" nos defendem... muitas vezes são as nós que destróem.
Obrigada pela visita...
às vezes sou um bocadito cusca, mesmo... :D
Bjinhos

marta disse...

Lindo o teu post Fa! Lindo!
Eu... neste momento ando feito ouriço... de espinhos em riste... não quero atacar, apenas defender-me... só que por vezes, as duas coisas baralham-se!
Nestas alturas, costumo ir para um canto da floresta onde não há outros bichos, perder-me pelos caminhos, para depois, vencida pelo cansaço e cheia de saudades voltar. ;)
até já... sem picos...

Beijo grande!

Ver para crer disse...

Deus criou-nos para vivermos em sociedade. Sozinhos não somos nada...

Nilson Barcelli disse...

Gostei do conto, mas nunca ouvi falar do autor.
A moral da história, como é óbvio, evidencia ensinamentos que não convém esquecer.
Obrigado pela partilha.

Beijinhos.

Multiolhares disse...

um dia o meu filho levou um para casa, disse que estava perdido e escondeu-o na casa de banho,o bichinho deita um cheiro tão mau e forte, lá o convenci a devolver o bichano ao seu mundo onde seria feliz
bj

liliana disse...

espinhos e mais espinhos, da maneira k isto vai, axo k preferia ser mesmo ouriço,pois no mundo deles, ainda k se pikem sem kerer são unidos e tentam-se ajudar uns aos outros.na humanidade já não é assim, cada vez mais há feridas profundas dificeis de curar.
bjinho gd

Maria João disse...

É verdade... Apesar dos picos, é juntos que caminhamos. Ser um como Jesus e o Pai...

beijos em Cristo e Maria

gaivota disse...

por vezes quase gostava de ser ouriço, com espinhos e tudo...
mas não é isso que é fundamental para vencermos na vida e fazer fé das nossas posições, o caminho terá que ser outro...
beijinhos

Fa menor disse...

Marta,
Não te embrenhes muito na floresta densa… sozinha, sem os os outros bichinhos por companhia…
As defesas dos ouriços podem passar por baixar os seus espinhos. Estes assim abaixados funcionam como escudos protectores e não deixam os dos outros furar a nossa pele...
Beijinho


Ver para crer,
Verdade!
O homem é um ser biopsicosocial...
não pode viver isolado, se não atrofia!
Só que às vezes pensa que é o rei da "bicharada"


Nilson,
Isto é para tentar dizer que nem sempre é fácil fazer parte de um grupo, seja ele qual for...
Bjs


Multiolhares,
mas são uns bichinhos tão giros!...
Um dia o marido também trouxe um para casa e colocou-o no quintal...
No verão passado, devido ao calor da noite, costumávamos sentar-nos um pouco no terraço, às escuras. Surpreendidos, ouvimos uns ruídos. Acendemos uma luz e demos com dois ouriços que vinham à procura de comida... :)
Bjs


Liliana,
menina linda, sei que às vezes não são só espinhos... no mundo dos humanos, são farpas que custam a arrancar...
Como respondi acima à Marta, quem sabe se neste nosso mundo, as nossas defesas não deverão passar por baixar os nossos espinhos, formando com eles um escudo protector que obrigue o nosso adversário a ficar desarmado, pois acabará por esbarrar neles, partindo assim as suas armas.
Temos é de encontrar as formas ideais de os transformar nesse escudo. E cada caso é um caso...
Cada qual, na posição em que se encontra, deve procurar defender-se sem atacar, mas tentando desarmar o inimigo!
Muita força para ti, querida amiga.
Beijinho grande


Maria João,
Sim. Seria muito bom se conseguissemos ser unidos...
Infelizmente, em todo o lado há rivalidades.
Que façamos por ser um com os outros que connosco se relacionam!
Beijos em Cristo


Gaivota,
temos alturas de tudo...
que os momentos menos bons nos sirvam de reflexão para mudarmos o que em nós não estiver tão bem assim!
Beijinhos

Libelinha disse...

Temos que saber ceder um pouco de nós para que os outros também o façam.

Hoje fim do mês de Maria e solenidade da Visitação de Nossa Senhora, peçamos a Maria que nos proteja em cada dia.
Bom fim de semana

Fa menor disse...

Libelinha,
sim, acho que devemos ceder...
Poucos atentarão contra um coração desarmado.

Lembremo-nos sempre de Maria e do Seu Imaculado Coração!

Bom fim de semana e um beijinho

Menina Soina disse...

Já conhecia esta história.
Penso que se adequa perfeitamente à realidade.
Tb nós, humanos, temos que encontrar um ponto confortável, onde nos podemos ajudar mutuamente.
Às vezes é dificil, mas com paciencia e persistência.

Fa menor disse...

Menina Soina,
verdade. Tantos espinhos que muitas das vezes cravamos nos outros e os outros em nós, sem necessidade!
Temos que aprender com estes animaizinhos.
Bjs