20100609

É o meu Violino!

Numa certa manhã de Outono, um pobre cego pedia esmola à porta de uma igreja, como fazia todos os domingos, com um pequeno cão que ele tinha ensinado a sentar-se sobre as patas traseiras segurando na boca um velho chapéu amassado, onde ele esperava que algumas almas caridosas lhe lançassem umas pobres moedas.
O mendigo tocava, ou melhor, tentava tocar uma canção no velho violino que rangia desafinado, e os frequentadores do local davam pouca importância àquela dupla de artistas passando por ambos sem ao menos olhar para eles.

Porém, nessa manhã, sucedeu passar por ali um senhor muito distinto que, ao ver o cego a tocar o violino tão desafinadamente, pediu-lho emprestado, quando ele terminou a canção.
Afinou cuidadosamente as cordas e começou a tocar. E fê-lo de tal maneira que em poucos minutos a praça ficou cheia de gente, formando à sua volta um apertado círculo de espectadores. As notas ecoavam no ar com uma agilidade e vibração arrebatadoras.
A música era tão harmoniosa que todos estavam encantados a ouvi-la.
Foi quando, no meio do silêncio, se ouviu um grito:

- É o meu violino, é o meu violino!

Era o pobre mendigo que bradava entusiasmado, orgulhoso, porque do seu violino saía uma música tão maravilhosa...

Depois de executar várias peças musicais, sob o aplauso delirante do público que se acotovelava, o desconhecido entregou o violino ao mendigo e desapareceu apressado, deixando todos perplexos e maravilhados, e a pergunta era uma só:
- Quem é este músico maravilhoso?

Um dos presentes adiantou-se e pegando no chapéu da boca do pequeno animal, estendeu-o ao público, dizendo:
- Os senhores acabam de ouvir um grande violinista, um mestre, e o espectáculo não foi de graça; por favor, contribuam para este homem, assim como o excelente violinista o fez.
E as esmolas foram tantas que o pequeno cãozinho não podia suportar o peso do chapéu.

(Adaptado)

• É curioso observar que aquele violinista não deu uma moeda sequer de esmola ao cego, mas com o seu talento e humildade, provavelmente transformou o dia daquele mendigo no dia mais feliz da sua vida.

• Também podemos concluir que não é por se ter um violino que se produz música. É preciso afiná-lo e saber tirar dele as notas certas para que a melodia seja bela e harmoniosa.

• E assim é na nossa vida: muitas vezes somos como um violino desafinado. Mas se nos deixarmos tocar pelas mãos do Mestre, a melodia será maravilhosa!

11 comentários:

Nova Civilização disse...

Muito lindo...

muitas vezes desperdiçamos nossos dons e o que Deus tem a nos oferecer, por não sabermos ter paciência.

obrigada pela partilha,

beijinhos no coração,

Gisele

Pena disse...

Estimada Amiga:
Que história mais encantadora. Linda.
Deixa uma lição de vida profunda a ter em conta.
Parabéns.
Abraço amigo de respeito pela sua Fé e grandeza de talento. Fascínio.
Sempre a admirar o que concebe com um brilhantismo fabuloso.

pena

MUITO OBRIGADO, Hoje, sai-o daqui mais rico.
Excelente partilha que adorei.
Parabéns.

RETIRO do ÉDEN disse...

Aplaudo de pé e com muitas palmas.
Lindo o que acabei de ver aqui relatado.
Obga. pela partilha.
Abraço apertadinho
Mer

gaivota disse...

stradivarius... seria!
que maravilha!
beijinhos

Ailime disse...

Amiga Fá,
Que história divinal.
Que o Senhor nos molde como Ele bem sabe e quer e que tal como o violinista sejamos capazes de doar os nossos "talentos".
Obrigada pela visita.
Bom Feriado. Excelente fim de semana.
Um beijinho.
Ailime

teresa disse...

esta tocou cá no fundo ..
linda partilha amiga ..

beijinhos ..

Lilá(s) disse...

Li devagarinho e soube-me bem...
Bjs

Nilson Barcelli disse...

A moral da história, tal como concluiste no primeiro ponto, é a de que é mais importante criar o ambiente para ajudar os outros do que ajudar "apenas" directamente.

Mas eu não acredito na história... eheheh... eu explico...
Um violinista famoso, há uns anos, foi tocar o seu instrumento para o metro de Nova Yorque. Mas deram~lhe tanta atenção como ao "pobre cego" da tua história...
Isto é verdade.

De qualquer modo, gostei imenso da história. Até porque eu sou defensor das ajudas que criem condições...

Querida amiga, boa semana.
Beijos.

RETIRO do ÉDEN disse...

Venho deixar um beijinho de agradecimento pela visita.
Abraço
Mer

poetaeusou . . . disse...

*
um violino no telhado,
recordei !
,
brisas musicais, deixo,
,
*

Pena disse...

Estimada Amiga:
"...• Também podemos concluir que não é por se ter um violino que se produz música. É preciso afiná-lo e saber tirar dele as notas certas para que a melodia seja bela e harmoniosa.
• E assim é na nossa vida: muitas vezes somos como um violino desafinado. Mas se nos deixarmos tocar pelas mãos do Mestre, a melodia será maravilhosa!..."

Perfeito. De imensa significação.
Já sumariei.
Abraço de parabéns sinceros pela magistral profundidade da lição.
Com respeito e admiração constantes ao que concebe com pureza e beleza.

pena

Podes partilhar também aqui as tuas palavras