20100707

Abrir as mãos se o salto é sem rede



Pedes-me um tempo,
para balanço de vida.
Mas eu sou de letras,
não me sei dividir.
Para mim um balanço
é mesmo balançar,
balançar até dar balanço
e sair..

Pedes-me um sonho,
para fazer de chão.
Mas eu desses não tenho,
só dos de voar.

Agarras a minha mão
com a tua mão
e prendes-me a dizer
que me estás a salvar.
De quê?
De viver o perigo.
De quê?
De rasgar o peito.
Com o quê?
De morrer,
mas de que paixão?
De quê?
Se o que mata mais é não ver
o que a noite esconde
e não ter
nem sentir
o vento ardente
a soprar o coração...

Prendes o mundo
dentro das mãos fechadas
e o que cabe é pouco
mas é tudo o que tens.
Esqueces que às vezes,
quando falha o chão,
o salto é sem rede
e tens de abrir as mãos.

Pedes-me um sonho
para juntar os pedaços
mas nem tudo o que parte
se volta a colar.

E agarras a minha mão
com a tua mão e prendes-me
e dizes-me para te salvar.
De quê?
De viver o perigo.
De quê?
De rasgar o peito.
Com o quê?
De morrer,
mas de que paixão?
De quê?
Se o que mata mais é não ver
o que a noite esconde
e não ter
nem sentir
o vento ardente
a soprar o coração.

Balançar - Mafalda Veiga

12 comentários:

gaivota disse...

bonito!
sempre gostei de ouvir a mafalda, quando apareceu há uns 20 anos (talvez) fazia a didferença, a sua presença, os poemas que cantava...
beijinhos

RETIRO do ÉDEN disse...

Bonita esta escolha.
a MAFALDA trás paz/tranquilidade na sua voz e poemas.
Abraço
Mer

Je Vois La Vie en Vert disse...

Bela mensagem musical !
Beijinhos
Verdinha

rouxinol de Bernardim disse...

Um bálsamo poético sem par!

teresa disse...

simplesmente lindoooo ..
gostei muito .
beijinhos ...

avlisjota disse...

Lindo Fa mt lindo! Sabes sou um admirador da Mafalda...

Fica bem

José

Lilá(s) disse...

Sempre gostei da Mafalda, sinto uma paz quando a oiço!
Bjs

Nva Civilização disse...

Muito lindo...

bom domingo,

beijinhos

Gisele

Pena disse...

Sublime Amiga Genial:
"...E agarras a minha mão
com a tua mão e prendes-me
e dizes-me para te salvar.
De quê?
De viver o perigo.
De quê?
De rasgar o peito.
Com o quê?
De morrer,
mas de que paixão?
De quê?
Se o que mata mais é não ver
o que a noite esconde
e não ter
nem sentir
o vento ardente
a soprar o coração..."

Grandioso. Intenso. Soberbo poema de encantar e fazer pensar.
Brilhante reflexão.
Abraço amigo de profundo respeito por si e pelo que escreve com encanto.
Parabéns.
Admirá-la-ei SEMPRE!
É uma preciosidade humana de ouro puro.
Bem-Haja.
Adorei.
Deslumbrado pela sua magia.

pena

poetaeusou . . . disse...

*
balanço
entre a musica
e a poesia da Mafalda,
ouvindo o Balançar,
recordando
,
na Nazaré
vamos embalar o mar
vamos embalar o mar,
,
obrigado pela escolha,
,
balanceadas conchinhas,
ficam,
,
*

Susaninha disse...

ADOROOOOOOOOOOOO...
SIMPLESMENTE...ADORO:)

. intemporal . disse...

.

. fico . em silêncio . entre.melodias de a.mar .

.

. parabéns .

.

. comovido .

.

. paulo .

.