20101116

O Purgatório na Escatologia Cristã

Novembro - mês das Almas do Purgatório - 16.º Dia

"Está determinado que os homens morram uma só vez, depois do que vem o juízo" (Hb. 9, 27).

O primeiro evento escatológico será a morte. A crença na vida após a morte do corpo, de acordo com a teologia cristã, inclui a crença num estágio intermediário entre a morte e a ressurreição. A alma, imaterial, experimenta um juízo particular depois da morte enquanto separada do corpo.

"Escatologia cristã é o estudo do fim das coisas, tanto o fim de uma vida individual, ao final da época, ou o fim do mundo. A palavra "escatologia" é derivada de duas palavras gregas que significam: "passado" e "estudo". Em termos gerais, é o estudo do destino do homem como é revelado na Bíblia, fonte primária de todos os estudos sobre escatologia cristã.
A escatologia é concentrada em explicar a vida após a morte, começando com a morte até ao julgamento pessoal que segue a morte do indivíduo, e seguido pelo destino do céu ou do inferno. (Na teologia católica, o céu às vezes é precedido por um purgatório)." - (Fonte: wikipedia)

Mas a escatologia não é o que acontecerá só depois da morte, a escatologia iniciou-se com a Morte e Ressurreição de Cristo:
«Se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também devemos crer que Deus levará, por Jesus, e com Jesus os que morrem n'Ele.» (I Tes. 4,14)
Porque, assim como em Adão todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo». (1 Cor. 15, 22)

Assim, a escatologia cristã prende-se ao que afirmamos no Credo: «Creio na ressurreição da carne»; e depois, «Creio na remissão dos pecados e na vida eterna».

"Deus não condena ninguém: oferece a todos, na liberdade, a salvação pela qual Cristo morreu e ressuscitou. Deus faz tudo pelo homem, menos tirar-lhe a liberdade, porque seria desfazê-lo. É cada um que se abre, no tempo, à salvação ou condenação eternas, conforme o estilo de vida adoptado na terra.
Com a morte acaba o tempo e a possibilidade de mudança ou conversão, entrando-se na eternidade.
Com a morte fica, portanto, definitivamente marcada a sorte que cada um escolheu no tempo: a vida eterna em Deus e com Deus (céu) ou a vida eterna à margem de Deus (inferno). Nesse sentido, nada poderemos fazer para alterar o destino dos mortos. Nem o próprio Deus pode libertar os mortos da condenação que livremente escolheram em vida." (Fonte: Veiga, Américo. Como ser Cristão?. Editorial Perpétuo Socorro)

Mas a Igreja Católica crê num estado espiritual, conhecido como Purgatório, onde as almas que não merecem o inferno, mas não estão completamente prontas para o céu, passam por um processo final de purificação.
A Igreja formulou a doutrina da fé relativa ao Purgatório sobretudo nos Concílios de Florença e de Trento.
Fazendo referência a certos textos da Escritura, a tradição da Igreja fala do Purgatório como sendo um fogo purificador - uma «Chama Viva de Amor», como diz S. João da Cruz. Uma Chama Viva de Amor de Deus, que purifica as almas em ordem a levá-las ao seu encontro com Ele no Céu “onde não entrará nada de impuro” (Ap. 21,27). Ali gozarão para sempre de perfeita felicidade na glória celeste. Primeiro, só a alma. E depois da ressurreição da carne, unida ao próprio corpo.

Temos que admitir, portanto, a existência desse lugar de purificação que Deus, na Sua Sabedoria e Bondade infinitas, criou para conciliar as exigências da Sua Justiça Divina com as do Seu Amor misericordioso.


Podemos e devemos, pois, fazer orações e oferecer sacrifícios por todas as almas em geral, porque não sabemos quais estejam realmente a necessitar, e em condições de receber o mérito dessas nossas orações e sacrifícios oferecidos a Deus por elas. Estas orações e sacrifícios nunca ficarão sem efeito, sobretudo as Santas Missas que fizermos celebrar por elas, pois Deus fará a sua aplicação às almas que mais precisadas estiverem.

«Deus Pai todo-poderoso, que nos fortalecestes e assinalastes com o mistério da cruz e da ressurreição do Vosso Filho, concedei benignamente que os vossos servos libertos desta vida mortal, sejam associados ao convívio dos Vossos santos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito santo. Amen.» (Do Ritual das Exéquias)

18 comentários:

RETIRO do ÉDEN disse...

Ámen.
Muito bela e enriquecedora esta explicação.
Obga. pela partilha
Continuemos então,as nossas orações pelas alminhas necessitadas.
Abraço
Mer

Nova Civilização disse...

Amiga Fa,

obrigada pela partilha,

"...Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito santo. Amen"

beijinhos

Gisele

Felipa disse...

A almas devem purificar-se antes de entarem na presença de Deus, pois Ele é a Perfeição, o grau mais elevado do Amor, e não devemos desejar ir á Sua presença com a alma suja pelo pecado.
O Purgatório é o local onde lavamos a nossa alma, onde a purificamos pelo fogo do amor de Deus, que nos faz ver a nossa fealdade e desejar a brancura e pureza das nossas vestes, as vestes com que entraremos na Sua divina presença...

Bela partilha
Beijos

Alfa & Ômega disse...

Querida Fa, que dever perfeito o seu! Parabéns pelo esclarecedor texto. Abração!

DE MÃOS DADAS disse...

Antes de mais obrigada Fa.
É bom aprender e ir aprefeiçoando a sabedoria com um trabalho maravilhoso.
Gostei muito

Para as almas do Purgatório
Que Deus lhes dê o eterno descanso e que descansem em paz
Amen
Utilia

malu disse...

Muito boa partilha Fá. Obrigada e bjs em Cristo e Maria.

teresa disse...

um texto muito completo , obrigada pela partilha ..

beijinhos ...

Ailime disse...

Amiga Fá,
Grata por esta reflexão que em pormenor nos dá uma ideia muito concreta sobre o tema da nossa reflexão/oração pelas almas do Purgatório.
Um passo importante na nossa caminhada.
Continuemos a nossa oração pelas almas e que DEus as tenha no Seu eterno descanso.
Um beijinho.
Ailime

gaivota disse...

amén! e só se morre uma vez, minha querida, no dia e na hora que nos foi destinado no dia em que nascemos!
que Deus nos vá protegendo e guiando
beijinhos

Je Vois la Vie en Vert disse...

Querida Fa,

Gostei muito do teu post.
Às vezes fico com receio pelas pessoas que amo e que não acreditam em Deus mas que não levaram um vida feita de maldade. Este teu texto trouxe-me um pouco de paz face a estes receios meus,
Obrigada.
Beijinhos
Verdinha

Dulce disse...

Fá obrigada por este trabalho que me transmite um pouco mais de saber neste tema que me é difícil.
Beijinho

Vanuza Pantaleão disse...

Parabéns, amiga, pela explicação correta e pormenorizada sobre questões religiosas que poucos tentam ousar!

Meu carinho!!!

poetaeusou . . . disse...

*
Inferno maior
do que é a vida,
é castigo excessivo !
,
brisas serenas,
deixo,
,
*

Baila sem peso disse...

Não sei que te diga menina musical...
tens um jeitinho especial :)
Este teu cantinho cheira a paz e fé e muito, muito carinho
pela alma que padece no Caminho!...

Bom fim-de-semana
Beijinho

Insana disse...

Que belo seu texto.

bjs
Insana

Alfa & Ômega disse...

Amiga Fa, tem selinho prá vc lá no Alfa &Ômega. Vá lá Pegá-lo.Bjbjbjb

Pe. JAC disse...

OLá Fá
Caminhada de Advento? Como é?
Passa no meu blogue ou do da Utília!

Fa menor disse...

Ok, chefe :)
Caminhamos pois.
Assim que der já por lá passo.

---

Maria Luiza,
lá irei buscar o selo. Obrigada! Bjs

-----

Amigos todos, obrigada pelas vossas presenças aqui.
Abraços

Podes partilhar também aqui as tuas palavras