20111116

Pauzinhos de Marfim


"Na China antiga, um jovem príncipe resolveu mandar fazer, de um pedaço de marfim muito valioso, um par de pauzinhos. Quando isto chegou ao conhecimento do rei seu pai, que era um homem muito sensato, este foi ter com ele e explicou-lhe:
— Não deves fazer isso, porque esse luxuoso par de pauzinhos pode levar-te à perdição!
O jovem príncipe ficou confuso. Não sabia se o pai falava a sério ou se estava a brincar. Mas o pai continuou:
— Quando tiveres os teus paus de marfim, verás que não ligam com a loiça de barro que usamos à mesa. Vais precisar de copos e tigelas de jade. Ora, as tigelas de jade e os paus de marfim não admitem iguarias grosseiras. Precisarás de cauda de elefante e fígado de leopardo. E quem tiver comido cauda de elefante e fígado de leopardo não vai contentar-se com vestes de cânhamo e uma casa simples e austera.
Irás precisar de fatos de seda e palácios sumptuosos. Ora, para teres tudo isto, vais arruinar as finanças do reino e os teus desejos nunca terão fim. Depressa cairás numa vida de luxo e de despesas sem limite. A desgraça irá atingir os nossos camponeses, e o reino afundar-se-á na ruína e desolação… Porque os teus paus de marfim fazem lembrar a estreita fissura no muro de uma fortaleza, que acaba por destruir toda a construção.

O jovem príncipe esqueceu o seu capricho e mais tarde veio a ser um monarca reputado pela sua grande sensatez."

( Conto do filósofo chinês Han Fei, oito séculos antes da nossa era)


Este conto não vos faz lembrar nada, nos nossos tempos?

13 comentários:

Mário Margaride disse...

Olá minha amiga, boa tarde!

Gostei muito deste belíssimo texto.

Parabéns!

Beijinhos e feliz quarta feira.

Mário

xistosa - (josé torres) disse...

Coincidentemente também fiz um post aos pauzinhos...
Os meus são de plástico, uma imitação barata feita na China, como não podia deixar de ser.
Tanto estes como os de marfim não facilitam a "apanha" dos últimos bagos de arroz.
Vivó garfo!

Desculpe a desestabilização, ando a tentar curar-me, mas... penso que os genéricos estão falsificados.
Um resto de uma boa semana.

Nilson Barcelli disse...

A crise não tem apenas a ver com os pauzinhos de marfim que nós e todos os países mais desenvolvidos andámos a usar há 15 ou 20 anos...
Também vem da China, mas é porque eliminámos a taxas aduaneiras para eles entrarem...
E desconfio que isto só acalma quando tivermos o nível de vida médio dos chineses.
Mas depois vêm os indianos, que também são muitos e trabalham que se fartam por pouco dinheiro...
Isto vai mesmo acabar mal...

Não conhecia a história e adorei.
Beijos, querida amiga dos pauzinhos...

Anónimo disse...

Não conhecia mas adorei a história. Faz-me lembrar uma triste realidade...
Bjs
Lilá(s)

ps: não me aceita comentário, vou tentar como anónimo...

Ailime disse...

Amiga Fá,
Um conto bem interessante que não conhecia!
Fantástico como oito séculos antes da nossa era já se faziam antevisões que se bem analisadas e postas em prática (querendo o Homem, mas não quer) poderiam evitar o descalabro que se vive actualmente a todos os níveis.
Grata por partilhar.
Beijinhos.
Ailime

Je Vois La Vie en Vert disse...

O homem sempre continuará homem com as suas expectativas e exageros !
Beijinhos
Verdinha

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

As vezes as palavras
mergulhadas no tempo,
parecem escritas
neste exato momento...

Que a luz da vida
esteja sempre em teu olhar.

Mário Margaride disse...

Querida amiga

Passei por aqui, para te desejar uma excelente quinta feira, e dar-te um beijinho de amizade.

Mário

Pena disse...

Estimada Amiga:
Realmente, por vezes, enganamo-nos no que podemos encontrar na vida pela ostentação e riqueza que julgamos possuir e mergulhamos em voos mais altos sem ligar às coisas insignificantes, mas, essas sim, muito valiosas.
OBRIGADO pela pessoa agradável que é.
Abraço de respeito ao seu talento enorme.
Sempre a admirá-la.
Agradecido pela sua visita linda.

pena

BlueShell disse...

Ora aí está...tal e qual...os caprichos dos nossos "meninos de oiro" levam à derrocada do país!

Muito oportuno.Bj

Vanuza Pantaleão disse...

Quanta sabedoria encerram os contos da China milenar!
Fa, também sou adepta das coisas simples, mas nem todos são assim, daí esse fosso e desigualdade entre os homens.
Beijos, amiga!!!

gaivota disse...

pois é, amiga, há que ser moderado e escolher o modo de vida...
beijinhos
(já não sei se poderei ir a coimbra no domingo...)

Anónimo disse...

Excelente texto . Pena que quem detém o Poder não siga esta sábia lição.

Podes partilhar também aqui as tuas palavras