20080406

Incoerências

Se já não andava muito bem, hoje piorei!
Estou aqui que nem posso. Chateada, aborrecida. Estou arrasada. Gasta, sufocada, perdida, estoirada… mas não vencida!

Eu, incrédula, ainda não me tinha dado bem conta da dimensão da superficialidade da vivência cristã, nos nossos dias.
Como é que se chega a um 10.º ano da Catequese, em vésperas de se receber o Sacramento da Confirmação, em completa contestação às leis da Igreja, às quais se chama “esta porcaria”?!!!

Que moverá alguns adolescentes a fazer o Crisma?

Ao abordar assuntos referentes ao recebimento deste Sacramento, nomeadamente no tocante ao perfil dos padrinhos, instalou-se a polémica.

Afinal para que serve um padrinho ou madrinha de Crisma? Não será para, entre outras coisas, lhe transmitir a sua vida cristã? Poderá alguém dar aquilo que não tem?
Já nem falo nas polémicas de anos anteriores, em que queriam à força ter um padrinho de Crisma sem ser ele próprio crismado! Parece que isso já entenderam. O que parece não terem entendido, ainda, é que para se transmitir vida cristã, tem que se viver como cristão. E o que é viver como cristão é que ainda não entrou bem na cabeça das pessoas.

Os Mandamentos da lei de Deus não são fáceis de cumprir. Muito embora se possam resumir a dois: amar a Deus e amar o próximo, eles são dez, que ditam regras de conduta que tem que ser seguida. Sabemos que a fragilidade humana nos coloca pedras no caminho que nos fazem tropeçar e que, muitas vezes, “não fazemos o bem que queremos e fazemos o mal que não queremos”. “O justo peca sete vezes ao dia”. Mas sabemos também que Deus nunca nos abandona. Os Sacramentos que nos deixou são disso prova. Se sentimos a consciência pesada devemos abeirar-nos do Sacramento da Reconciliação que restaura em nós a pureza perdida.

Mas a consciência só nos acusa daquilo em que nós sabemos que falhámos. E as mentalidades de hoje começam a encarar com completa normalidade aquilo que não o é!

Um dos requisitos para os padrinhos do Crisma é serem pessoas que, se casadas, que o sejam pelo Sacramento do Matrimónio e não apenas pelo civil, ou se solteiras, que não vivam maritalmente com ninguém. Ora, foi neste ponto que a bomba estoirou.

Se se é cristão, faz sentido que se siga a Cristo e a sua doutrina. Para quem não é cristão, não faz sentido seguir essa doutrina. Se se é cristão, no tocante ao casamento, faz sentido que se receba o Sacramento do Matrimónio. Se não for cristão, casar pela Igreja é uma incoerência. Tal como é uma incoerência, no caso de se dizer Cristão, viver maritalmente sem receber este Sacramento ou antes de o receber.

Como é que se pode avaliar se uma pessoa vive ou não cristãmente?
Certamente que os sinais exteriores darão alguma indicação. Mas quem sou eu para ajuizar o que quer que seja?

Deixei a minha advertência. Aconselhei a que fosse procurada ajuda espiritual, por exemplo através da Confissão. O que um catequista ensina é em nome da Igreja e não em seu nome pessoal.

Atiraram-me com “ponho as minhas mãos no lume em como a Igreja daqui a alguns anos não terá ninguém.”

Mas afinal, é a Igreja, fundada por Cristo, que segue a doutrina deixada por Cristo, que deve moldar-se à mentalidade da sociedade civil? Aos apetites inconstantes das pessoas? Não serão as pessoas que têm que decidir se querem viver segundo estes ensinamentos ou não? Seguem-nos, se sentem esse chamamento e necessidade, mesmo sabendo que correm o risco de tropeçar, pois sabem que Jesus está sempre connosco em Espírito Santo, para nos ajudar nas nossas fraquezas.

Quem achar que este é um caminho demasiado estreito, que não o force para que seja uma estrada larga de facilidades, pois nunca o será.

Muito mais poderia aqui referir de todo o bate-boca que se gerou. Muito mais aqui escrevi e acabei por apagar. Estou cansada. Às vezes dá-me vontade de fazer como Jesus quando expulsou os vendilhões do Templo. Outras vezes dá-me vontade de desistir desta “gente de pouca fé”. Sou fraca, imperfeita, pecadora. Espero que Deus me dê a força necessária a “travar o bom combate”, porque sei que vai sobrar para mim!

33 comentários:

Pinguim Alegre disse...

É contra isto que o santo padre luta...

Pela chamada fé "light"...

Bjs grandes

mimika disse...

Este post vem ao encontro do que tenho vivido ultimamente. Eu dou Preparação para o Crisma a adultos e as incoerências são mais do que muitas!!!
As pessoas que chegam até mim, querem única e exclusivamente ser padrinhos de baptismo e fazem o sacrifício de ali andar em função disso, ainda que não acreditem em coisa nenhuma e se estejam nas tintas para o que se está a transmitir.
Eles andam 2 anos a preparar-se (reuniões mensais), mas depois vão entrando outros a conta gotas a meio do percurso que tem, naturalmente, uma linha traçada. Outros há que são padrinhos sem o Crisma, assumindo o compromisso de o fazerem posteriormente e não põem lá os pés.
Hoje, por exemplo, falámos no sacramento da Reconciliação que ninguém dos que estavam valoriza. A reunião faz-se antes da Eucaristia e nenhum dos presentes vai! NENHUM!
Hoje mesmo na Eucaristia...eu estive sempre angustiada...os meninos da catequese a fazerem barulho, um deles (que eu vi) jogava no telemóvel! O fotógrafo do baptismo atendeu o telemóvel...bem...nem sei...

Eu própria me sinto perdida...atravesso uma séria e já prolongada crise espiritual...já pedi ajuda. Olhando para o meu "percurso religioso" eu jamais pensaria chegar a este "tsunami interno".
O curisoso ou talvez não...é que comecei este turbilhão qd andei no Curso de Ciências Religiosas e comecei a estudar a História da Igreja...

Fa, peço imensa desculpa, mas não vim ajudar nada...o que fiz foram desabafos tb...tinha tanto, mas tanto para dizer...

Beijinhos

mimika disse...

Já agora...desc o abuso, mas não conheces nenhum guia espiritual?

Já tentei falar com o meu Pároco, mas, não é por falta de vontade dele, mas ele anda sempre tão ocupado...qd tentei falar com ele surgiu um imprevisto...

Fa menor disse...

Pinguim,
Eu acho que a tal fé "light" anda a dar cabo da vida espiritual daqueles que querem viver segundo a fé da Igreja.

Bjinhos grandes



Mimika,
Gostei do teu desabafo pois mostrou-me que afinal não sou sozinha...

Às vezes já não sei nada, tantas são as pressões e aquilo a que a sociedade nos obriga.
Mas outras vezes penso que não estarei enganada ao optar por princípios que acho serem os correctos.

Sente-te à vontade para desabafar sempre que queiras, aqui ou por mail.

Mandei-te um email. Mais alguma coisa dispõe sempre.

Beijinho grande

joaquim disse...

Amiga Fa
O problema é velho e repete-se constantemente...
Para além de tantos factores que existem e levam às coisas que enunciaste, existe um muito importante e que é o entendimento que as pessoas têm do que é a Igreja.
Quando ouço coisas como: "assim a igreja vai perder gente", respondo sempre que a Igreja não é um clube onde se conta o número de sócios, e muito menos se fazem inscrições para a ela pertencer.
Repete-se muitas vezes que a Igreja é o Povo de Deus, mas quantos sabemos o que é o Povo de Deus?
É que o Povo de Deus não são aqueles que "escolhem" sê-lo, mas aqueles que são chamados e se deixam chamar: Jo 15, 16 «Não fostes vós que me escolhestes; fui Eu que vos escolhi a vós e vos destinei a ir e a dar fruto, e fruto que permaneça»
Eu não sou Igreja porque eu quero, mas porque me deixei chamar e abri o coração ao chamamento.
Só assim posso viver e entender a Igreja, porque sou Igreja.
Mas deixa Fa porque a palavra que vais semeando há-de dar fruto naqueles que a ouvem e depois se deixam chamar e são Igreja.
São muitos, são poucos, verdadeiramente só Deus que chama sabe quantos são Igreja...

Abraço amigo em Cristo

Fa menor disse...

Amigo Joaquim,
consegues sempre colocar-me um pouco de paz no coração...
mas será que conseguirei tocar algum destes adolescentes que têm em si uma predisposição a ouvir só o que lhes convém?
Obrigada pela força que me transmites.

Abraço em cristo

marta disse...

Deixo-te um beijinho.
Força!

Tiago R. Cardoso disse...

Estás revoltado...

Compreendo, queres mais um exemplo?

o meu curso de noivos o padre defendeu que uma das orientações da igreja seria de os casais terem filhos, frisou que também não era tudo em frente, tinham de ser adaptados aos dias de hoje.

Logo um casal que se ia casar ali perto avançou, então e quem não quiser ?

Resposta, são orientações em que a igreja assenta, ou seja a vida.

E se não for essa a nossa vontade ?

"Quem não entra em algo deve acreditar no que vai entrar, não deve entrar só por ser costume, tudo deve ser feito em consciência, saber exactamente o que é e compreender as coisas.", resposta.

Fa menor disse...

Marta,
Obrigada.
Bjinho


Tiago,
É isso mesmo. Quem entra em algo deve fazê-lo com verdadeiro conhecimento daquilo em que se vai meter e não porque é costume ou "diz que é bom" como também já ouvi dizer a um pai que pedia o baptismo para um filho...
Obrigada amigo!

antonio disse...

Fa, ainda não tinha lido o teu texto e já te tinha respondido lá no meu sítio.

Muitos procuram uma Igreja supermercado, com livro de reclamações e cartão de pontos de fidelidade. O pior que pode acontecer a um consumidor é percorrer as prateleiras e não encontrar o que procura. Quase tão mau como descobrir que não pode ou não está disposto a pagar o preço. Falta um lado de loja chinesa…

Mas a verdadeira questão, é que não podemos franquear as portas da Sua casa, a ninguém.

Enfim... disse...

a igreja catolica esta a ficar com uma mentalidade por demais...sou catolica por vezes praticante mas á coisas que não gosto...digamos que entre elas é eu querer casar e ter de ir fazer um curso para garantir a certeza de que o quero fazer...poupem-me

bjs

Maria João disse...

Não é fácil... Muita foça!

Vem ao meu blog e reza...

beijos em Cristo e Maria

malu disse...

Fá,

Entendo-te tão bem. E tanto que mal tenho aparecido, precisamente a debater-me com uma situação identica.
Penso que aqui já foi tudo dito e portanto resta-me deixar-te um abraço. Fé, coragem !

Vais precisar para o comentário acima. ((...) "sou catolica por vezes praticante ... )

Bjs., (poupo-te) ;)

Flor disse...

Olá Fá Querida! :)

Voltarei com mais tempo para ler e reler o teu post, mas hoje, vou dormir, pois o despertador toca bem cedinho para ir trabalhar... :)

Peço-te que passes no meu canto e assines, eu e a Isabel agradecemos.
Peço as tuas orações pela minha garota!

É importante que todas assinemos, afinal ninguém está livre, não é mesmo?

Beijo bem no centro do teu generoso coração

Flor com ternura

Fa menor disse...

António,
Maria João,
Malu,
e Flôr...

assim que tiver um pouco de disponibilidade de tempo responderei aos vossos comentários.
Bjs



Enfim...

antes de te dar uma resposta gostaria, se fosse possível, que me dissesses se queres casar pela Igreja ou na igreja.
Bjs

Ecclesiae Dei disse...

Entendo te perfeitamente. Trabalho no Curso de Noivos, e vejo como os casais querem "ser católicos", sem precisa agir como católicos. "quero casar na Igreja", mas não quero ter que fazer o curso de noivos - exatamente como um comentário que li aqui... é triste. Realmente se espera que a Igreja se amolde a eles, e não querem assumir a Igreja.
Mas... força, minha amiga. Jesus precisa de você, para mostrar a verdade, não é a toa que está lá, catequizando. Ele há de te dar força, de nos dar força.
E... se forem poucas as pessoas que se mantiverem católicas? Tudo bem, acredito que seja melhor contar com poucos verdadeiros, do que muitos com os pés em duas canoas...
A Paz de Jesus!

Anónimo disse...

Tenta seguir aquilo em que acreditas!

Transmite tão e sómente aquilo em que acreditas!

Quem não conseguir "deixar tudo"... não é o verdadeiro cristão...

Lembra-te... por vezes é necessário passarem primeiro pelo deserto...sofrer... reclamar... bater mesmo no fundo do poço... para só depois poderem emergir com a força que Deus N. Senhor sempre lhes quis dar (gratuitamente)...

Kalos

elsa nyny disse...

Então LInda...?!

O caminho ás vezes não é fácil...mas vale SEMPRE A PENA!!!

cORAGEM E FORÇA!!!

bjtsssssssss

Fa menor disse...

António,
Com já te referi, temos que saber acolher. Mas, usando a tua comparação de "supermercado" e "loja chinesa" (gostei dessa)... os Sacramentos nunca podem ser à vontade do freguês!


Maria João,
obrigada pela força!
Lá irei...
Beijinho


Malu,
Sei que não sou sozinha a passar por situações assim. E já não é a primeira vez que passo por coisas destas, nem será a última...
Porque isto do ser católico e não praticante... ou às vezes... bem...
Um abraço e muita força para ti também. Obrigada.



Flor,
Vou passar por aí, sim...
até já!
Beijinho

Cátia disse...

Querida amiga,

Sabes que te adoro e que te respeito muito, nao sabes? Se calhar foi em sinal desse respeito que ainda não tinha comentado este post, e tao pouco tento comentar nos posts sobre fé ou sobre igreja...

Perguntas-me: acreditas num Deus de amor que tudo pode? Sim, acredito!! Acreditas no bem sobre o mal? Sim acredito!! Bem sabes que fui educada no seio de uma familia cristã, e que eu própria fui catequista durante varios anos, assim como animadora de um grupo de jovens... Aliás cresci e formei os meus valores nesse grupo...

Há uma frase que escreves que transmite bem o que penso: "Como é que se pode avaliar se uma pessoa vive ou não cristãmente? Certamente que os sinais exteriores darão alguma indicação." É apenas a sua vivencia que poderá demonstrar a sua tamanha cristandade e nada mais.

Acredito numa igreja constituida pelo povo escolhido por Deus, como fala o Joaquim, e nessa insiro-me certamente... Na instituição igreja, aquela que comanda toda a comunidade de cléricos, aquela que é comandada pelo vaticano... já a conversa é outra.

Poderia desabafar aqui a minha opiniao sobre alguns dos assuntos que aqui abordas, mas o comentario ja vai grande e tambem nao quero desrespeitar ninguem. Desculpa o desabafo.
Beijinho grande

quintarantino disse...

Ânimo ... digo eu ... e logo tu que és de mulher de fibra deixas-te ir abaixo assim sem mais, nem menos ...

Fa menor disse...

Ecclesiae Dei,
Obrigada pela força que me dá.

Acho que uma das coisas que alguns casais de noivos não devem perceber é que o Matrimónio é um Sacramento e não apenas um vulgar contrato de casamento. Daí não verem necessidade de se prepararem.
A Paz de Jesus!



Kalos,
Concordo contigo!
Se calhar, algumas pessoas estão habituadas a ter tudo com facilidade e não vêem a necessidade de se esforçar.
Obrigada pela sua visita e volta mais vezes.
Bjinho



Elsinha,
Obrigada.
O caminho mais fácil nem sempre desemboca na meta.
Bjinhos

Fa menor disse...

Cátia,
Obrigada por teres comentado.
A Igreja é constituida por homens, e como tal, é pecadora. Acho que temos de ter a humildade de o reconhecer. Mas ao mesmo tempo é santa porque nela habita o Espírito de Deus. É Deus que nos congrega e, por isso, sozinhos sem Ele nada podemos. Somos membros de um só corpo cuja cabeça é Cristo, como ramos presos a um tronco de videira. Só permanecendo unidos à videira que fornece o alimento aos ramos, podemos produzir frutos.

Bjinhos grandes



Quint,
há alturas de tudo...
Mas nem tudo o que abana, cai!
Obrigada pelo ânimo.

Enfim... disse...

na igreja :D

beijinhos

mafaoli disse...

Fá, como te entendo, como sinto a tua tristeza e desâmino. É assim um pouco por toda a parte; é a história do cristão "não praticante", viver assim é mais fácil, não há compromissos, tenta-se fugir às regras, às normas, aos preceitos, vive-se os Sacramentos de uma forma leviana, os Mandamentos não são para se viver. Hoje as pessoas tentam realmente viver uma fé light.
Mas teremos que lutar para que a verdadeira Mensagem de Jesus Ressuscitado continue viva.
Força e Fé
:)

liliana disse...

entao mulher de armas, foi assim tao a baixo?n vale a pena desanimar.eu continu-o a achar, que alem de se escolher um padrinho/a deve-se primeiro refrlectir sobre a fé que se tem e se se quer ou não cumprir o "juramento" que se faz. pois se apenas se vai fazer o crisma porque é bonito, fica bem na sociedade e depois se pode ser padrinho, isso não faz kker sentido. pois o que acontece na maioria dos casos é que nunca mais ninguem os vê.assim mais vale não fazer.axo k é o assumir de um compromisso perante Deus muito importante.não sei talvez esteja errada, mas é a minha opinião.

beijinhos e muita força.

Roberto disse...

Olá Fá Menor!
Sabe andava à procura da música do cântico "oh Senhor, ensina-me a viver!" e vim parar ao seu blog!
Não desanime pois eu também sou catequista e compreendo bem a sua partilha!
Repare que muitos se dizem cristãos e só 1/3 é que vive realmente a eucaristia, por exemplo... não se fazem omoletes sem ovos! Ninguém dá o que não recebeu! Os jovens/adultos que se preparam para receber o Crisma devem recebê-lo com fé, pois isso é importante. E depois de ungidos(escolhidos) por Deus devem inalar um odor agradável para os outros, assim como o perfume do óleo benzido na Missa crismal que receberam!
Gostei de ver o seu blog!
Se quiser veja o do nosso grupo de jovens: www.betania.no.sapo.pt
Abraço

Fa menor disse...

Enfim,
tinha um pressentimento de que a tua resposta fosse essa (porque será?)...

Espero que no final do curso queiras, mais do que casar na igreja, casar pela Igreja, pois existe uma diferença substancial, que o curso te ajudará a descobrir se a isso te disposeres.
Beijinho

Fa menor disse...

Mafaoli,
outra das coisas que me desanima e que me leva a tentar "compreender", até certo ponto, a "fé light" de algumas pessoas é o facto de em algumas comunidades/paróquias se levar ao extremo o cumprimento rígido de normas, e noutras haver todo o facilitismo. Ex: se aqui sou obrigado a seguir determinados passos para baptizar o meu filho, vou acolá onde nada me é exigido.
Isto existe.
Saibamos distinguir o essencial do acessório e lutemos, como dizes, pela verdadeira Mensagem do Ressuscitado.
Bjinhos


Liliana,
pois é... sabes como algumas coisas me deitam abaixo, sabes muito bem quantos se têm juntado ao nosso G.J. por ano... e quantos nele têm permanecido... por aí se vê um pouco se a catequese tem resultado.
té amanhã ;)
bijinho


Roberto,
Obrigada pela tua partilha. Realmente não se fazem omeletes sem ovos... Uma das coisas que me preocupa é o pensarem que não se precisa de formação, que se sabe tudo...
Pior que não fazer omeletes por falta de ovos é fazê-las com ovos estragados.
Obrigada pela tua visita. Já fui ao vosso blog... mas não me permitem comentar! :P
Acho que somos da mesma diocese :)
Abraço em Cristo

Menina Soina disse...

Olá!
Eu também sou catequista e trabalho essencialmente com a catequese de infância. Já aí se conseguem ver grandes diferenças. Crianças que gostam da catequese e crianças que vão obrigadas porque os pais querem que eles façam a Comunhão e o Crisma, etc, etc.

Não tenho duvidas de que o maior exemplo deve vir de casa. Se os pais não mostram às crianças o que é viver como família cristã, de pouco valerá o que nós catequistas fazemos.

Cabe-nos tentar cativá-los da melhor forma possível, fazendo sempre catequese da forma mais dinâmica possível para não deixar fugir os poucos que sabem o que querem e porque querem.

:)))

Fa menor disse...

Olá Menina Soina,
Bem vinda e obrigada pelo teu testemunho.
Concordo plenamente contigo em que o exemplo devia vir de casa. Aliás, a maioria dos exemplos, para bem ou para mal das nossas criança e jovens, vêm sempre de casa. Por isso, a catequese de adultos deveria ser prioritária nas nossas paróquias...

Beijinhos

Anabela disse...

Olá Fá !!!
Demoro a fazer-te uma visitinha, mas hoje consegui!!
E vou deixar-te uma mensagem “ Não desista nunca….desistir é próprio dos fracos” ou melhor deixa que Deus guie os teus passos,e escuta a sua voz!!
Só assim não vacilamos, nem perdemos a força!!!
Beijinhos

Fa menor disse...

Anabela,
Muito obrigada pela visita e pela mensagem. De facto, às vezes dá vontade de desistir, se dá!... e sou fraca... :) Mas sei que Deus me vai dando força dentro da minha fraqueza, e cá me vou aguentando. Sem Ele nada conseguimos fazer!
Um beijinho grande