20071008

Sete coisas

A Malu passou-me um desafio em que tenho andado a remoer…
É que já lá vão muitos anos e não me lembro de muita coisa…
Mas sempre vou responder ao que me lembro. Então aqui vai!

Sete brinquedos que nunca tive:
1. Uma bicicleta.
2. Nem sequer um triciclo.
3. Duas agulhas de tricot como devem ser (as que tive eram dois raios de bicicleta).
4. Um baloiço como deve ser, construído por alguém para mim.
5. Não me lembro...
6. Não me apetece pensar...
7. Não sei...

Sete lembranças vergonhosas de infância
1. Cantar para muita gente, mas dizer que só o fazia se me dessem dinheiro (mas não tive culpa… mandaram-me fazê-lo!)
2. Apoiar a cadeira só nas pernas de trás e cair, claro!
3. Apanhar tareia das colegas por ter sido egoísta e invejosa de uma coleguinha mais pequena, por achar que ela não merecia que lhe fizessem uma rodinha de madeira, só porque ela não tinha dado colaboração.
4. Ter vergonha de ir fazer um recado à outra sala de aula, ser obrigada a isso, bater à porta e quando a professora mandou entrar eu simplesmente não entrei, fiquei à espera que a viessem abrir, apanhando um raspanete.
5. Deixar toda a gente aflita à minha procura por ter adormecido na casa da eira à hora da sesta, só acordando depois de muito me chamarem por não saberem de mim.
6. Aprender a dançar agarrada a uma vassoura ao toque do rádio.
7. Quando tomava conta da mercearia dos pais, dar os rebuçados todos aos colegas, que me subornaram, e depois apanhar uma sova do pai.

Sete lembranças dolorosas de infância
1. Ter partido um alguidarinho de barro vidrado, tão lindo, que tinha ganho com tanto esforço a cantar umas cantigas num casamento, ao colocá-lo na cabeça da boneca a fazer de chapéu!
2. Nunca conseguir tirar a bola dos pés do primo, que era um rapaz já espigadote, que sabia fazer muitas habilidades com a bola e que me arreliava com isso.
3. Ter de mendigar muito ao irmão, que antes de mim tomava conta da mercearia, quando queria umas pastilhas elásticas.
4. Nunca sentir mimo da parte da mãe.
5. A perda dos avós, principalmente da avó paterna.
6. Apanhar umas bofetadas da professora por não responder errado a uma pergunta de matemática que eu tinha respondido certo. A professora é que estava errada, eu tinha absoluta certeza de que tinha respondido certo e teimei na minha resposta, então apanhei!
7. Terem-me mergulhado no mar à força, fazendo-me engolir uns pirolitos!

A mais dolorosa:
Ser exposta pelo pai a humilhação pública, ao prender-me com uma corda a uma oliveira, num domingo à tarde, à beira da estrada, por causa de ter feito um grande disparate - tirei dinheiro da gaveta da mercearia e comprei todos os selos, meus e dos meus colegas, que tinhamos trazido da escola para vender, de ajuda aos tuberculosos (SLAT).

Ah, ah!!! Mas agora vou-me vingar! Quero que respondam a este mesmo desafio o Quintarantino, o Tiago e a Marta! E não aceito desculpas, isso é que era bom! A mim também me custou muito!!!
:D

12 comentários:

Quintarantino disse...

Ó "princesa"... se não te importares, responderei aqui mesmo... com modéstia e parcimónia...

Os 7 brinquedos que nunca tive:

1 - Bicicleta.
2 - Um arco e flecha para ser índio...
3 - O petroleiro de brincar que namorei não sei quanto tempo... sério!
4 - Uns patins...
5 - Uma pista nova da "Scaletrix" para substituit a que estragara...
6 - O segundo, o terceiro e por aí fora combóios de brincar...
7 - Não me lembro... mas é bem capaz de ter sido algum carro da "Matchbox"...

7 lembranças vergonhosas de infância:

1 - Os tombos que dei na cadeira quando fazia de baloiço!
2 - Ter caído ao lago no jardim da igreja por causa dos peixinhos dourados...
3 - Ter gozado indecentemente com um colega que era gago... arrependo-me disso, mas na altura achava um piadão.
4 - A corrida de velocidade que perdi por me ter espalhado!
5 - Enganar-me nas notas musicais no coro da escola...
6 - Cair e rasgar os calções...
7 - Um belo dia ter achado que uma pedra era uma bola!

7 lembranças dolorosas de infância:

1 - Lembro-me vagamente de ter estado internado no hospital, muito doente...
2 - De um dia, feito super herói, ter achado que conseguia voar de um banco de jardim para o galho de uma árvore e... ter acordado horas depois!
3 - De ir ao dentista...
4 - De um dia ter sido acudado, com outro colega, de termos dado umas estaladas num terceiro. E não havíamos sido nós!
5 - De nunca ter conseguido superar alguns dos meus medos que me impediam de brincar com os outros...
6 - Ver um homem a ser atropelado e a morrer estendido na passadeira!
7 - Ter de ver, com 10 anos, para Portugal, para um colégio, sózinho...

Cátia disse...

Ola minha querida,

Gostei de ver todos esses acontecimentos. Sei que deve ser doloroso, sei que nem sempre deve ter sido facil... mas sei que as dificuldades fortalecem, e agora estás aí uma pessoa forte e linda... com um coraçao lindo.

Estou sempre por perto.
Beijinhos grandes

ps- nao consigo colocar o premio no ticho..

marta disse...

Gostei de te conhecer um pouco melhor! Embora algumas coisas preferisse que fossem diferentes... um beijinho grande para ti!

Qt a mim, sem desculpas, já respondi!

Fa menor disse...

Quint,

Ui!... Que belo elogio!... soube-me tão bem!!!
Fiquei fascinada com a rapidez da tua resposta. (Essa de rasgar os calções foi boa, se por acaso te aleijaste não teve importância nenhuma, lol)
Por teres falado em hospital, fez-me lembrar mais uma lembrança dolorosa, esta física, motivada por uma queda aparatosa do carro do meu pai em andamento quando a porta se abriu inadvertidamente... traumatismo craniano, cara toda esfarrapada... podia ter morrido que não teria sentido nada. Mas esta apenas só deixou algumas pequenas marcas físicas (para mim irrelevante).



Cátia,

Mais outro grande elogio, hoje estragam-me com mimos...
Não consegues colocar o prémio pq?
Bjinhos



Marta,

O que lá vai, lá vai, já não interessa nada... não me deixou traumas, é o que importa, tanto que para me lembrar foi preciso algum esforço...

Isso é que foi responder com rapidez!!! gostei de ver!
Beijinho grande

Sandra Dantas disse...

Ó linda,
há coisas que custam um bocadinho recordar, mas começando a lembrar vem tudo à memória!!!

Gostei de teres comprado os selos todos!!! Inteligente!!!

Beijinhos, fica bem!

Fa menor disse...

Sandra,

achas que fui inteligente?! Também acho, lol, pena ter sido com dinheiro que não era meu...

Beijinhos

Fontez disse...

ficamos a conhecer o passado de Fa.
interessantes memorias...!
Essa gostei: "7 - Um belo dia ter achado que uma pedra era uma bola!"
:)
bjss

arealmar disse...

ficamos a conhecer-te melhor
beijos

Tiago R Cardoso disse...

Isto é cada "vingança", acho que não consigo enumerar todos mas posso tentar, então utilizando este teu excelente local, aqui vai.

Brinquedos que nunca tive.
1. Um barco pirata.
2. Uma colecção de "carrinhos".
3. Uma pista de comboios.
4. todos os que nunca me fizeram falta porque não os conhecia.

Lembranças vergonhosas.
1. Ter dado o meu primeiro bilhete de "amor" na primária e toda a gente o ter lido.
2. Ter sido gozado pela família de gostar tanto de carrinhos.
3. Ter me aleijado num pé e ir cheio de vergonha de chinelo para a escola primária.
4. Brigar com a minha irmã mais nova.
5. Não perceber que certos "amigos" que tinha, nunca foram meus amigos.

Lembranças dolorosas.
1. A ausência presente do meu pai.
2. a indiferença presente da minha mãe.
3. A indiferença do meu padrinho.
4. Ter partido um braço na primária.

A mais dolorosa.
A morte do meu pai.

Isto foi difícil.........

joaquim disse...

A mais dolorosa:

Mas caramba, até foi por uma boa causa....eheheh

Abraço amigo em Cristo

Fa menor disse...

Fontez!
Também gostei de conhecer as tuas memórias... que escreveste lá naquele cantinho amigo... ele há coisas de cada cérebro com pontos!...lol

Olha também gostei desta que referiste do Quintino... deve ter aleijado bem o sapato!... :)
Bjs



Arealmar,
se também quiseres dar a conhecer-te... sente-te à vontade para isso!
Bjinhos



Tiago,
Também gostei muito de saber alguma coisita da tua infância...
Ui!... essa do bilhete de amor foi dose, criança sofre!
... A tua mais dolorosa... deve ter doído mesmo imenso, querido amigo!
Bjs



Joaquim,
pois, amigo, mas ali a causa não era o de menos... ehehe, os fins não justificaram os meios.

E doeu-me muito, porque o meio utilizado pelo meu pai para atingir um fim, que era o de eu aprender a lição, também não se justificava... foi demasiado humilhante!
Abraço amigo em Cristo, para ti

malu disse...

Querida Fá,

És uma grande (como costumo chamar-te) mulher e aqui bem o revelas.
Se te consola um pouco, digo-te que tb passei, foi tardes inteiras (!!!!) atada a uma árvore só para os tais , feitos índios e cowboys poderem brincar a isso.. Qu'horror!! eh eh , mas tornamo-nos fortes , não é?

Milhões de beijs para ti :) e desculpa só agora vir agradecer-te mas o tempo-net tem realmente sido escasso. Obrigda!