sábado, novembro 30, 2019

Say Yes - Aprender a Dizer SIM




Ø Um percurso pela história das JMJ (Jornadas Mundiais da Juventude);

Ø Visa preparar a vivência da próxima JMJ, que terá lugar em Lisboa, no ano de 2022.

O Say yes é um projecto de Catequese para adolescentes (7.º; 8.º; 9,º; e 10.º anos de Catequese) que  está a ser desenvolvido em todo o país, durante três anos, e motiva os catequizandos a partilharem as suas vivências e iniciativas nas redes sociais, seguindo os hashtag:
#sayes
#jmjlisboa2022
#aprenderadizersim
#catequese

O projeto Say yes segue, em traços gerais, a história da JMJ nas suas diversas etapas.
Procura que os adolescentes conheçam cada Jornada (tema, mensagem, hino, local), a experiência de alguém que a viveu (vídeo testemunhal), e procurem actualizar para o hoje das suas vidas os desafios lançados na mensagem. Ao longo destes três anos percorrer-se-ão as quinze Jornadas Mundiais da Juventude desde 1986 (Roma) até 2019 (Panamá).

A quem interessar, encontrarão recursos do Projeto Say Yes
em: Centro de Recursos Educris
e mais em:  Material de Catequese

Cada etapa do percurso Say yes estrutura-se em 4 encontros, cujo desenvolvimento é apoiado pelo Diário de Bordo, que pretende ser um caderno «pessoal» do catequizando para registo e aprofundamento do percurso feito.

Say Yes - Aprender a Dizer SIM, «a força do SIM de Maria jovem. 
O sim de Maria foi diferente de um sim como se dissesse: bom, vamos tentar, para ver o que acontece. Maria não conhecia a expressão vamos ver o que acontece. Era decidida, percebeu do que se tratava e disse sim, sem rodeios. Foi algo mais, algo diferente. Foi o sim de quem se quer comprometer e daquele que quer arriscar, de quem quer apostar tudo, sem outra segurança que não seja a certeza de saber que era portadora de uma promessa.» 
(cf. Cristo vive, 44)

sábado, outubro 12, 2019

O preço e o valor; e o sítio certo

Um pai, em determinado dia, chamou o filho e disse-lhe:
- Filho, vou dar-te este relógio, que é muito especial para mim. É um relógio muito antigo do teu bisavô. Há mais de 100 anos que está na nossa família. Talvez seja a melhor herança que eu te possa deixar. Mas antes, quero que procures saber quanto vale. Vai ali ao café em frente e diz às pessoas que lá estiverem que queres vendê-lo, para ver quanto te dão por ele.

O filho lá foi. Quando voltou disse que, lá no café, o máximo que lhe ofereceram foi 10€, porque disseram que era velho. Então o pai disse:
- Agora vai ao relojoeiro e faz o mesmo.
O jovem assim fez e na relojoaria conseguiu uma oferta de 30€ pelo relógio. O pai disse:
- Então agora quero que vás ao museu, nas primeiras horas da manhã, e mostres lá o relógio.
Ele assim fez. Chegou lá ainda antes de o museu abrir. Quando abriu, entrou e procurou por quem dirigia o museu para oferecer o relógio.

Quando voltou disse ao pai:

- O dono do museu ficou com os olhos brilhantes diante do relógio e, irradiando alegria, disse que o relógio é uma peça rara. Existirão no mundo apenas 100 exemplares deste relógio. Disse que algo assim não tem preço... de tão raro que é. Aconselhou-me a não vender, pois eu tinha nas mãos uma verdadeira jóia. Mas, se por acaso, eu me quisesse desfazer do relógio, que o procurasse em primeiro lugar, pois ele pagaria 50.000€ por ele.

O pai então disse:
- Filho, a herança que tenho para te deixar não é o relógio nem os 50.000€ que ele pode valer. A herança que te vou deixar é esta lição: não fiques irritado por não te darem o valor que mereces. Ninguém te vai dar o valor certo enquanto estiveres no lugar errado.
Quem sabe o teu valor é quem te aprecia; nunca fiques num lugar onde não te valorizam, um lugar que não combina contigo. Não sejas a pérola dos porcos. Conhece o teu valor!
O relógio já é teu. Ele pode valer 50.000€... mas escolher os lugares e as pessoas que são tão valiosos como tu, ah, isso não tem preço; isso tem valor! Eu queria que aprendesses que o lugar certo conhecerá o teu valor da maneira certa.

(desconheço o autor)

quarta-feira, julho 10, 2019

Contudo Tu não falharás


Tu me chamas sobre as águas
Onde os meus pés podem falhar
E ali Te encontro no mistério
No mar profundo
Aguento em fé

E pelo Teu nome vou chamar
Para lá das ondas vou olhar
Se a maré subir
No Teu abraço vou ficar
Pois eu sou Teu
E Tu és meu

No mar Tua graça é abundante
As Tuas mãos
Vão-me guiar
O medo acampa à minha volta
Contudo Tu não falharás

E pelo Teu nome vou chamar
Para lá das ondas vou olhar
Se a maré subir
No Teu abraço vou ficar
Pois eu sou Teu
E Tu és meu

Tu és meu

Guia-me onde a confiança é sem fronteiras
Quero andar sobre as águas
Até onde me chamares
Leva-me para lá do que é o mais profundo
Chegar a uma fé sem fundo
Mergulhar na Tua presença x3

Tu és meu

E pelo Teu nome vou chamar
Para lá das ondas vou olhar
Se a maré subir
No Teu abraço vou ficar
Pois eu sou Teu
E Tu és meu

(Onde os meus pés podem falhar, 
Tradução e Adaptação da música original "Oceans" - Hillsong United)
Acordes

domingo, junho 30, 2019

Alicerça-te


«Todo aquele que escuta estas minhas palavras e as põe em prática é como o homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha.
Caiu a chuva, engrossaram os rios, sopraram os ventos contra aquela casa; mas não caiu, porque estava fundada sobre a rocha.

Porém, todo aquele que escuta estas minhas palavras e não as põe em prática poderá comparar-se ao insensato que edificou a sua casa sobre a areia.
Caiu a chuva, engrossaram os rios, sopraram os ventos contra aquela casa; ela desmoronou-se, e grande foi a sua ruína.» (Mt. 7,24-27)


A vida é uma construção, vais-te construindo aos poucos. 

De onde vem a solidez da tua vida? 

A forma como tenho resistido aos ventos e às chuvas da vida indica o terreno onde tenho construído a minha vida.  

Pergunto-me, honestamente, quais são os alicerces em que assento a minha vida? 

Quantas vezes não experienciámos já a construção na areia? As más escolhas que nos levaram a más experiências?

"Senhor, tantas vezes que construímos a nossa casa sobre as areias do mundo. E as areias do mundo escorrem-nos por entre os dedos, e perdem-se para sempre. Ajuda-nos, Senhor, a construir sobre a rocha que Tu és, para que fazendo da nossa casa, tua habitação, ela seja para sempre. Ámen."

 "O Senhor foi o meu alto retiro; e o meu Deus a ROCHA em que me refugiei" (Salmo 94,22).

 "Vinde, cantemos ao Senhor: cantemos com júbilo à ROCHA da nossa salvação" (Salmo 95,1).


Alicerça-te, pois só assim se pode dizer:

Caiu a chuva, vieram as torrentes, sopraram os ventos... mas aquela casa não caiu. (Mateus 7, 21.24-27)


sexta-feira, março 08, 2019

Palavras em tempo de pedras


"Quando as pedras frias
caem brancas e torcidas
sobre as palavras imperiais,
mordendo-lhes as raízes
como se fossem o contrário do que são,
fecham-nos a alma e ficamos sem saber
se as asas se quebram ou
se ficamos de pé à espera das próximas pedras."
(José Maria Brito Sj https://www.facebook.com/zemariasj


A natureza humana é tal que os pensamentos lutam para serem expressos em palavras faladas, e palavras faladas procuram se realizar através de acções – muitas vezes por caminhos tortuosos, que a pessoa que originalmente pronunciou as palavras não desejava nem previa.


Pedras? Não guardo nenhuma. Os castelos ganham imensa humidade.



Partilhas maiores